Polí­tica

Foto: Isis Oliveira

Mediante iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Carlesse (PHS), os parlamentares e o superintendente de Habitação do Estado do Tocantins, Jorge Mendes, agendaram reunião com os ocupantes de moradias no Jardim Taquari.

As famílias receberam ordem judicial para desocupar de forma pacífica as casas no prazo de 15 dias, mas alegam não ter para onde ir; por isso, procuraram o Parlamento nessa terça-feira, dia 11, no intuito de encontrar uma saída ao impasse.

Mesmo cientes da necessidade de cumprimento da decisão judicial, os deputados pediram bom senso ao superintendente e sua assessoria a fim de não permitir o agravamento da situação das famílias que já sofrem com a falta de um teto.

As residências estão inacabadas e pertencem a programas habitacionais do Governo do Estado. Depois de concluídas, serão destinadas às famílias previamente cadastradas pelo Governo, diferentes das que lá se encontram no momento.

Diante da possibilidade de despejo, os deputados querem que a superintendência efetue cadastro das famílias ainda não-inscritas nos programas habitacionais, garantindo seu direito nas próximas concessões.

Os parlamentares solicitaram ao Executivo um prazo para que algumas famílias procurem outro lugar para viver, garantia de alojamento a quem não tenha possibilidade de encontrar um lar por conta própria e apoio necessário para que haja condições de sobrevivência após a saída, além de transportes para mudanças e cestas básicas.

A superintendência alega que tem de promover a desocupação a fim de dar continuidade à obra e garantir o direito das famílias que esperam suas casas. “Não podemos preterir quem está esperando há tanto tempo uma casa de forma legal, beneficiando a quem ocupou irregularmente o espaço”, alegou Thatiane, assistente social do órgão.

A reunião entre os parlamentares, a superintendência e os representantes das famílias foi marcada para as 14 horas desta segunda-feira, dia 17, na Secretaria Estadual de Habitação.