Cultura

Foto: Divulgação Nina brincadeira de menina Nina brincadeira de menina

Literatura, cinema e teatro na programação do quarto dia do Sesc Amazônia das Artes em Palmas, neste sábado, dia 6 de maio. Na literatura, “Nina brincadeira de menina”, sessão de contação de histórias com Ester Sá (PA), às 17h no Tênis Sesc do Aureny III. A entrada é franca. No audiovisual, os filmes “Meu Rio Vermelho” (MT/2016); “No interior da minha mãe” (MA/2013); e “Pedaços de pássaros” (PA/2016), com sessões às 19h no CineSesc do Centro de Atividades da 502 Norte. A entrada é gratuita. E, nas artes cênicas, o espetáculo teatral “Conversas de botas e batidas”, da Cia Vostraz de Teatro (MT), às 20h no Teatro Sesc Palmas. A classificação é livre e a entrada gratuita para comerciário e nos valores de R$ 2,00 para usuário e R$ 1,00 a meia. 

Confira as sinopses das ações de literatura, cinema e teatro para este dia 06 de maio:

Literatura

"Nina brincadeira de menina” é uma narrativa concebida a partir de histórias de vida e arte da artista popular e artesã Nina Abreu, 81 anos, de Abaetetuba (PA). Considerada cidadã ilustre dessa cidade, construiu sua história ligada à arte popular, à artesania do brinquedo, além da relação sempre agregadora com as crianças e jovens locais. O trabalho foi construído com bases nas suas memórias pela artista Ester Sá, transformadas em texto para a cena narrativa desta contação de histórias. A artista foi buscar na infância de Nina histórias que a conectassem com a adulta brincante na qual se transformou, mantendo viva dentro de si a sua criança. Memória, afetividade e história cultural se entrelaçam nesta narrativa, levadas ao palco para o compartilhamento com outras pessoas.
Aqconcepção visual e consultoria artística é de Aníbal Pacha.                                                  

Cinema

"Meu Rio Vermelho" – 2016 (20min). Direção: Rafael Irineu. Gênero: documentário. Nacionalidade: Brasil. Classificação: livre. O curta metragem realça as histórias de personagens com diferentes culturas que foram encontradas ao longo das correntezas do Rio Vermelho. Localizado no sul do estado de Mato Grosso, o rio passa por Jarudore, povoado que sobrevive da pesca. Aldeia Tadarimana, da etnia Bororo e uma das mais antigas do país. Rondonópolis, onde recebe cargas de esgoto a céu aberto. E por fim, com sua deságua, no Pantanal, a maior planície alagada do mundo.

"No interior da minha mãe" – 2013 (18min). Direção: Lucas Sá. Gênero: animação. Nacionalidade: Brasil. Classificação: livre. “Uma viagem para a cidade do interior, onde minha mãe nasceu’, afirma o diretor.

"Pedaços de Pássaros" – 2016 (13min). Direção: Andrei Miralha e Marcílio Costa. Gênero: documentário. Nacionalidade: Brasil. Classificação: livre. O pássaro como metáfora das relações do homem no mundo contemporâneo. Fragmentos, pedaços da vida cotidiana abordados poeticamente.

Teatro

“Conversa de botas e batidas” é uma livre criação poética e musical que incentiva a preservação e a divulgação da memória do manisfesto cultural matogrossense e brasileiro. Do siriri à capoeira, do cururu à dança do coco, das emboladas de rima às entoadas, do boi a serra ao boi luzeiro, de Mestre Seu Caetano à Mestre Salustiano, do Centro Oeste ao Nordeste brasileiro. O espetáculo promove o encontro entre ator/contador e plateia por meio do folclore, religiosidade e identidades culturais brasileiras, que consolidam um significante legado da cultura popular e de seus mestres. Duração: 35min. Classificação: livre. 

O Sesc Amazônia das Artes visa promover a circulação da produção cultural da região Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, tendo o Piauí como convidado em virtude de sua proximidade geográfica e identificação sociocultural. Apresentações de música, cinema, teatro, dança, circo, literatura, artes visuais, intervenção urbana e oficinas constam na programação.

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Amazônia de Artes, Sesc