Campo

Foto: Delfino Miranda

As principais ações de controle da raiva dos herbívoros foram repassadas para os acadêmicos de Medicina Veterinária da Faculdade Católica, a convite da instituição, durante a 17ª Agrotins. A palestra foi ministrada pelo gerente do Programa Estadual do Controle da Raiva dos Herbívoros da Adapec, José Emerson Cavalcante. Na oportunidade, foram abordadas as formas de transmissão da doença, prevenção e controle, bem como as ações da Agência realizadas em todo o Estado, que vão desde palestras, controle de morcegos hematófagos, cadastramento e/ou monitoramento de abrigos. 

“A raiva é um doença aguda do sistema nervoso central. Não pode ser erradicada porque existe uma espécie animal envolvida, que é o morcego, e exterminá-lo seria ecologicamente incorreto. Então, o que podemos fazer é controlar e prevenir”, afirmou José Emerson. A doença pode acometer todos os mamíferos, inclusive o homem. A forma mais eficaz de prevenção é a vacinação do rebanho, além do controle populacional dos morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva na zona rural, realizado por uma equipe treinada da Adapec.

A acadêmica do 8º período, Tayane Ribeiro Santana, achou interessantes os hábitos dos morcegos e a importância de ter cuidados redobrados para jamais colocar a mão na boca de animais doentes, evitando se contaminar com a raiva. “É uma grande oportunidade para nós alunos, pois agrega conhecimento que vamos utilizar futuramente, além de sanar nossas dúvidas, que são muitas”, informou.

A Adapec orienta que em caso de suspeita de raiva na propriedade rural, o produtor deve procurar imediatamente a Agência mais próxima para fazer a notificação, para que as providências sejma tomadas.

Por: Redação

Tags: Agrotins, campo