Polí­tica

Foto: Divulgação Lúcio Campelo afirma que, por meio de ação parlamentar, irá alertar o Ministério Público Lúcio Campelo afirma que, por meio de ação parlamentar, irá alertar o Ministério Público

Na manhã desta terça-feira, 16, o vereador Lúcio Campelo (PR), relatou na tributa da Câmara de Palmas/TO, em sessão plenária, a grave situação dos servidores aprovados nos concursos do município realizados em 2013/2014 e exonerados pelo prefeito Carlos Amastha (PSB) após um ano de efetivação.

Do concurso do Quadro-Geral de 2014 foram nomeados alguns aprovados em 2015 através de ordem judicial para ocuparem os cargos. Após um ano de efetivação, o prefeito exonerou os concursados alegando não ter recursos financeiros para pagamento de salários.

Alguns servidores revoltados com essa situação compareceram ao gabinete do vereador à procura de uma solução. Lúcio Campelo afirma que a situação é muito complicada, "o prefeito está descumprindo ordem judicial e passando por cima das leis”, disse. O vereador afirma que, por meio de ação parlamentar, irá alertar o Ministério Público.

Conforme o parlamentar, em 7 de abril de 2016, o prefeito publicou o Decreto nº 1.223 declarando a falta de necessidade e interesse público em nomear os candidatos do cadastro reserva, como uma forma de controle de gastos. Entretanto, ao longo dessa batalha judicial, a Prefeitura de Palmas adquiriu inúmeros contratos para cargos administrativos e prestação de serviços terceirizados, segundo o vereador.