Estado

Falta de ar condicionado e climatizadores na Regional de Atendimento do Procon de Gurupi foi o motivo do ofício enviado pelo Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (Sisepe-TO) à secretária da Cidadania e Justiça (Seciju) do Estado do Tocantins, Gleidy Braga no fim do mês de abril e que ainda não foi respondido pelo órgão.

O documento enviado à Seciju foi motivado por reclamações dos próprios servidores sindicalizados. Em visita a Regional da cidade, a diretoria do Sisepe constatou que os climatizadores de ar instalados não atendem a demanda, deixando o ambiente quente e extremamente abafado.

“Temos, inclusive, relatos de servidores passando mal e sendo cobrados e criticados pelo público em geral em razão do clima desagradável. O meio ambiente laboral dos servidores apresenta climatização insuportável, agravada pelas altas temperaturas enfrentadas no Tocantins, tornando-se inviável e desumano obrigar as pessoas a trabalhar dentro de salas fechadas sem a utilização de eficientes refrigeradores de ar”, diz o ofício.

Por meio do documento o Sisepe solicitava uma resposta do governo estadual, tanto através da manutenção imediata dos aparelhos ou substituição dos mesmos ou a transferência dos servidores da Regional de Atendimento do Procon de Gurupi para um prédio com climatização adequada. O Sindicato irá continuar cobrando uma resposta por parte da secretária Gleidy Braga.

São Valério

Também na região Sul do Tocantins, na cidade de São Valério da Natividade, a diretoria constatou problemas com climatizadores de ar na Regional de Atendimento da Adapec.

Segundo depoimentos dos servidores os aparelhos instalados no órgão não são suficientes para amenizar o calor do ambiente. Um ofício enviado ao presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins, Humberto Camelo, solicita a troca dos equipamentos ou a mudança dos funcionários para outro local de trabalho.

Outra reivindicação dos servidores do órgão e que consta no ofício é a lotação imediata de um servidor específico para a realização das tarefas diárias de limpeza no prédio da Adapec. Atualmente este serviço está sendo feito pelos próprios servidores da Agência que se revezam nos cuidados de higienização e limpeza, atribuições de responsabilidade de um auxiliar de serviços gerais. O documento estabelece o prazo de dez dias para resposta por parte da Adapec. O ofício tem data do dia 15 de maio.

Araguaçu

A ausência de um funcionário para realizar os serviços de higienização também se repete na regional da Adapec na cidade de Araguaçu. A diretoria regional do Sisepe também enviou oficiou ao órgão e solicitou uma solução para o problema que deverá ser apresentada no prazo máximo de vinte dias. O prazo se deu início também no dia 15 deste mês.

Alvorada

Este mesmo problema tem ocorrido também na cidade Alvorada, porém no escritório local da unidade do Ruraltins. No município, os servidores lotados no órgão reclamaram para a diretoria do Sisepe sobre a falta de um servidor específico para o cargo de auxiliar de serviços gerais.

Com o objetivo de resolver o problema, o Sindicato oficiou o presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, Pedro Dias, requerendo um servidor para a realização da limpeza e manutenção diária do prédio no prazo de dez dias a contar do dia 15 de maio.

Caso as solicitações do Sindicato não sejam atendidas, o Sisepe voltará a cobrar dos representantes da Seciju, Adapec e Ruraltins.