Estado

Foto: Divulgação

Sindicatos e centrais mobilizam caravana tocantinense para participação nos próximos dias de um grande ato contra a Reforma da Previdência e Trabalhista, em Brasília/DF. São esperados na capital federal, milhares de trabalhadores e movimento sociais de todos os estados brasileiros. 

Lideranças sindicais ligadas a Nova Central Sindical de Trabalhadores no Tocantins (NCST-TO) sairão de Palmas nessa terça-feira (23) às 17 horas e, em Brasília se juntarão com outros milhares de sindicalistas e trabalhadores de todo o Brasil para protestar contra as reformas em tramitação na Câmara dos Deputados, no protesto denominado “Ocupa Brasília”.

Para as manifestações a NCST-TO disponibilizou um ônibus para os seus sindicatos filiados. Além disso, algumas entidades sindicais também disponibilizaram ônibus para seus filiados.

O presidente da Nova Central Sindical, Cleiton Pinheiro, reforça a necessidade da participação de todos neste momento para pressionar o Governo a retirar a reforma de pauta e abrir um amplo debate com a sociedade.

Esta é mais uma etapa da estratégia das centrais sindicais para pressionar os deputados e senadores a votarem contra as reformas da Previdência e Trabalhista. Primeiro as centrais sindicais buscaram o diálogo e pressionaram os deputados e senadores em suas bases. Também participaram de audiências públicas a, onde demonstraram suas posições contrárias contra as reformas que retiram direitos dos trabalhadores.

A caravana das entidades sindicais ligadas à NCS-TO está prevista para as 17 horas em frente à Nova Central Sindical, na quadra 103 Sul, Rua SO 05 lote 41. A chegada em Brasília está prevista para as 7 horas da manhã, com concentração na Praça dos Três Poderes. O retorno para Palmas está previsto para o início da noite.

Sindifiscal 

O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal) será militante ativo nas mobilizações que acontecerão em Brasília/DF. A entidade já confirmou a presença de representantes nos atos de protesto que marcam oposição à agenda de austeridade do governo Michel Temer. 

Além da adesão do Sindifiscal e NCST-TO, as mobilizações contam com entidades sindicais do Tocantins, como a Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Fesserto), e entidades nacionais como a Fenafisco e a CSPB.