Economia

Foto: Wesley Silas/Portal Atitude Tocantins Idosa passou noite sob a luz de vela, após ter energia cortada por não conseguir pagar tarifa de R$ 3 mil Idosa passou noite sob a luz de vela, após ter energia cortada por não conseguir pagar tarifa de R$ 3 mil

Consumidores tocantinenses sentiram no bolso aumento no valor da tarifa de energia elétrica nos últimos meses. De acordo com explicação da Energisa ao Conexão Tocantins na manhã desta quinta-feira, 1° de junho, o último reajuste na tarifa aconteceu em julho de 2016 e o próximo ocorrerá em julho de 2017. A empresa não informou qual será a porcentagem de reajuste. 

Segundo a Energisa, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulamenta que cada distribuidora tenha uma data para realizar reajuste nas tarifas, sendo que no Tocantins acontece todo mês de julho. A porcentagem também é definida pela Aneel, de acordo com a Energisa. 

Na sessão de ontem, 31, vereadores da Capital reclamaram dos altos valores cobrados, principalmente aos palmenses, e sugeriram audiência pública em regime de urgência. O vereador Diogo Fernandes (PSD) foi quem levantou a discussão sobre o assunto, informando que a fatura subiu muito nos últimos 60 dias. Fernandes informou vir recebendo muitas denuncias e lembrou que sua energia subiu de R$ 400 para R$ 900, com rapidez. 

Para o vereador Vandim (PSDC), o Tocantins é um dos maiores produtores de energia elétrica do País e, por isso, é preciso entender o porquê das tarifas serem tão caras. 

Em Gurupi, a aposentada Benvinda Braz Nunes, de 82 anos, teve energia cortada por não conseguir quitar uma conta referente ao mês de março no valor de R$ 3 mil. Por morar só, ter poucos eletrodomésticos consumindo energia, e sempre ter quitado em média R$ 100 na tarifa, os filhos de dona Benvinda estão tomando providências na Justiça. 

Nas redes sociais, cidadãos reclamam: "Estão nos roubando na cara dura", "absurdo demais, a minha de cento e pouco saltou para R$ 250" e "estamos condenados a morrer nas mãos destas empresas saqueadoras" estão entre os comentários de consumidores do Estado. 

Orientação 

A Energisa se colocou à disposição para prestar qualquer esclarecimento. Aos consumidores que sentirem-se prejudicados, a orientação da empresa é que o cidadão ligue no 0800.7213.330 para informar a reclamação. Após o contato, haverá uma verificação in loco para a realização de um teste na corrente elétrica. Com o resultado em mãos, equipe da empresa fará a retirada do medidor e mandará ao Inmetro que irá atestar se há problema ou não. 

Mês de maio

Com relação à fatura de energia do mês de maio, a Energisa informou que não houve reajuste explicou que pode haver a influência no valor da conta, dos seguintes fatores:

> O final do período chuvoso e o início da estiagem que impactam diretamente na variação do consumo de energia elétrica por causa do uso prolongado de aparelhos de refrigeração como condicionadores de ar, geladeiras, freezers e ventiladores;

> A bandeira para o mês de maio/2017 foi vermelha (patamar 1), com custo de R$ 3,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos, outro fator que pode impactar no valor total da fatura;

> Em maio a alíquota do PIS/Cofins, tributos federais com alíquotas variáveis, foi de 9,25%, em conformidade com o que determina a Receita Federal e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com a Energisa, em abril, a tarifa foi reduzida em 9,85%, referente à revisão de valores pagos a mais pelo consumidor no ano passado, pela parcela do Encargo de Energia de Reserva (EER) Angra III. Portanto, o mês de abril/2017 teve um fato atípico e não deve ser comparado com maio/2017.