Campo

Foto: Divulgação

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), durante uma fiscalização de rotina nesta segunda-feira, 5, na barreira fixa de Talismã identificaram uma carga de animais sem as documentações zoossanitárias e transporte irregular. A ação resultou em multa de R$ 1.872,64 ao condutor e na apreensão e sacrifício de 30 suínos, uma vez que são procedentes do Estado do Pará, declarado como não livre da Peste Suína Clássica (PSC), ficando assim, proibido o ingresso dessa espécie animal no Tocantins, que é considerado livre internacionalmente da doença.

O fiscal agropecuário da Adapec, Cecílio Reis, explicou que no momento da abordagem o condutor da carga apresentou uma Guia de Transito Animal (GTA) de 45 bovinos. Porém, ao fazerem a conferência verificaram que haviam 52 bovinos, 30 suínos e sete equinos. “Sendo assim, sete bovinos, sete equinos estavam desacobertados das documentações. Todos os bovinos seguirão para Goiás, assim que forem emitidas as GTAs restantes . Os equinos ficaram com um fiel depositário para realização de exames de Mormo e Anemia Infecciosa Equina. Mas os suínos tiveram que ser apreendidos por serem proibidos de transitarem no Estado”, afirmou.

De acordo com a diretora de defesa, inspeção e sanidade animal Adapec, Regina Barbosa, a Instrução Normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento nº 25 de 19/07/2016 prevê a proibição de trânsito de suídeos de zona não livre para área considerada livre. Além disso, a IN nº 6 de 2004, determina que animais interceptados no interior da zona livre de PSC deverão ser apreendidos e sacrificados. “O condutor tentou burlar a legislação, mas nossos fiscais foram atentos e conseguiram identificar as irregularidades”, destaca.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, ressaltou a importância das ações realizadas nas barreiras fixas e volantes para impedirem a entrada e a movimentação de animais que possam colocar em risco a sanidade do Estado. “Para conseguirmos o status de zona internacionalmente livre da Peste Suína Clássica, em 2016, foi um trabalho árduo, que levou muitos anos, por isso temos toda a atenção em resguardar o plantel de suídeos”, ressaltou.

PSC

É uma doença viral, altamente contagiosa que acomete os suídeos, podendo determinar quadros de febre, hemorragias  múltiplas  e  alta  morbidade  e  mortalidade. Os suínos e os javalis são os únicos reservatórios naturais do vírus da Peste Suína Clássica (PSC).

As principais formas de transmissão são: contato direto entre animais (secreções, excretas, sêmen, sangue), entrada de animais no plantel sem controle; propagação por pessoas, utensílios, veículos, roupas, instrumentos  e agulhas; utilização de restos de alimentos sem tratamento térmico adequado na alimentação dos animais; infecção transplacentária.