Educação

Foto: Divulgação

Alunos do 7º ano da Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Vinícius de Moraes, localizada na quadra Arse 72, transformam materiais recicláveis em artesanato para apresentar e comercializar durante a Feira Científica Escolar, que será realizada quinta-feira, 22. Sob a orientação da professora Maria da Conceição Lopes, os estudantes arrecadaram na comunidade escolar garrafas de vidro, caixas de papelão e garrafas pets para produção de artigos de decoração. O projeto ganhou o nome de Empreendedorismo Juvenil por trabalhar o conhecimento sobre como montar um negócio, desde a criação do nome da empresa, calcular preço do produto, divulgação, até a produção final.

“O projeto tem o objetivo de potencializar o conhecimento dos alunos em relação ao empreendedorismo juvenil, proporcionar uma opção de fonte de renda, ensinar a produzir e também comercializar. É importante ressaltar que o artesanato que os alunos produziram foi confeccionado com materiais que seriam descartados, onde agregamos valor com juta, linhas, pedras, reutilizando tecidos, o que contribui para a conscientização da preservação ambiental”, explica a professora.

Utilizando técnicas de decoupage, corte e colagem, os alunos aprenderam a produzir artesanato com design sustentável e ainda aprimoraram seus conhecimentos de matemática, português, cálculo, coordenação motora, interação, trabalho em grupo, e claro, a criatividade, que, segundo Conceição, “toda essa interdisciplinaridade é aplicada para favorecer uma formação que prepare os alunos para o mundo”.

O projeto foi inicialmente trabalhado com toda a turma e afunilou com a chegada da Feira Cientifica, para as alunas Maria Eduarda Almeida, Ana Raquel Gomes e Sofia Franco. Maria Eduarda conta que aprendeu que vários produtos que iriam para o lixo poderiam se transformar em algo útil. “Podemos fazer, por exemplo, decoração da casa e para ficar legal nós combinamos as cores. Também aprendi a trabalhar em equipe, descobri nomes de materiais diferentes, e que cada um tem custo e temos que fazer cálculos, planejamento para ter retorno”, diz.

Ana Raquel está na expectativa com as vendas. “É legal saber que quando usamos a nossa imaginação acabamos fazendo algo legal, criamos uma empresa aqui e podemos fazer isso na vida real para ter uma renda e melhorar de vida. Eu acho que esse projeto vai gerar lucro para nossa escola”, diz à aluna que faz o convite para quem quiser conferir de perto as peças e levar para casa esses artesanatos exclusivos que variam de R$ 2,50 a 25 reais. (Secom Palmas)