Estado

Foto: Divulgação Outdoor com informação errada veiculado pelo Governo provocou reação de aprovados no concurso Outdoor com informação errada veiculado pelo Governo provocou reação de aprovados no concurso

Uma ação publicitária do Governo do Estado provocou a reação da comissão dos candidatos aprovados no concurso da Polícia Civil para o cargo de Perito. O grupo repudiou o que considerou publicidade enganosa, em função da veiculação de outdoor no qual o Governo afirma que quase 400 das 515 vagas do certame, realizado em 2014, já teriam sido preenchidas.

Na prática, até o momento, apenas 248 aprovados foram convocados para tomar posse. “Número bem diferente dos 515 que foram aprovados no concurso, isso incluindo o teste físico, psicológico e o curso de formação, que agora aguardam ansiosos o momento de começar a trabalhar e compor o quadro efetivo de profissionais da Segurança Pública do Estado. Estes 248 convocados representam um quantitativo bem diferente dos 400 propagados e divulgados em outdoors pelo governo”, diz a comissão.

A comissão também critica a morosidade do Estado em convocar os aprovados, tendo em vista que o certame seria para provimento imediato e apenas no dia 12 maio de 2017 saíram as primeiras nomeações.

Dos 248 nomeados, 53 são para o cargo de delegado, 13 médicos legistas, 35 peritos, 63 escrivães, 44 agentes de polícia e 26  agentes de necrotomia e 14 papiloscopistas.

“Ao todo, 267 profissionais ainda aguardam uma posição do governo, que continua fazendo promessas vazias sem estabelecer um cronograma definitivo, sem se comprometer com datas e sem afirmar com precisão quando o restante dos aprovados será nomeado. São 267 candidatos que permanecem aflitos depois de três anos, 267 cidadãos que interromperam suas vidas para se dedicar ao sonho de passar em um concurso público. Enquanto o governo responde com descaso, a população continua sofrendo com tanta violência”, critica a comissão de concursados.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Comunicação Social (Secom) reconheceu o erro na publicidade. Conforme a nota, tratou-se de um “equívoco na arte elaborada para divulgação dos dados referentes ao concurso” e, tão logo o erro foi detectado, “a veiculação da publicidade, na forma de outdoor foi imediatamente suspensa”. 

“Pedimos desculpas pelo equívoco e reafirmamos o compromisso do Governo em continuar investindo na melhoria das ações de Segurança Pública, que além do concurso, consta da entrega de novas delegacias equipadas, viaturas, armamento, munições, coletes à prova de balas, instrumentos necessários trabalho dos valorosos profissionais que atuam na área em defesa do cidadão”, diz a Secretaria.

Ainda na avaliação da Secom, o número de profissionais convocados “se aproxima do ideal necessário ao bom andamento dos trabalhos da Polícia Civil e Polícia Técnico Científica do Estado”. A nota lembra que o certame tem validade até março de 2019, podendo ser prorrogado por mais dois anos, e que os demais classificados poderão ser convocados à medida que haja disponibilidade orçamentária e financeira.

Confira a íntegra da nota

“Por um equívoco na arte elaborada para divulgação dos dados referentes ao concurso Público da Secretaria da Segurança Pública (SSP), encerrado em dezembro de 2016, a Secretaria da Comunicação Social (Secom) esclarece que, assim que o erro foi detectado, a veiculação da publicidade, na forma de outdoor foi imediatamente suspensa.

A Secom esclarece que: ao todo foram disponibilizadas 515 vagas para provimento imediato e formação de cadastro de reserva da Polícia Civil.

De 397 vagas previstas para provimento imediato, 248 já foram preenchidas com a convocação de 53 delegados de polícia, 44 agentes de polícia, 63 escrivães de polícia, 26 agentes de necrotomia, 14 papiloscopistas, 13 médicos legistas e 35 peritos criminais conforme previsto no planejamento orçamentário anual.

O número de profissionais convocados se aproxima do ideal necessário ao bom andamento dos trabalhos da Polícia Civil e Polícia Técnico Científica do Estado. Os demais classificados poderão ser convocados à medida que haja disponibilidade orçamentária e financeira para isso. Vale ressaltar que o concurso tem validade até o mês de março de 2019, podendo ser prorrogado por mais dois anos.

Pedimos desculpas pelo equívoco e reafirmamos o compromisso do Governo em continuar investindo na melhoria das ações de Segurança Pública, que além do concurso, consta da entrega de novas delegacias equipadas, viaturas, armamento, munições, coletes à prova de balas, instrumentos necessários trabalho dos valorosos profissionais que atuam na área em defesa do cidadão.

Secretaria de Estado da Comunicação Social”