Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara Municipal de Gurupi/TO, Valdônio Rodrigues (PSB), convocou na noite da última terça-feira, 4, os vereadores da Casa para uma sessão extraordinária a ser realizada nesta quarta-feira, 5, às 19 horas. O objetivo é votar três Projetos de Lei (PL) de autoria do executivo e um Projeto de Resolução (PR) oriundo da Mesa Diretora da Câmara.

O PL 012/2017 que trata sobre a desafetação de bens públicos e autorização para que o executivo venda esses bens é o mais polêmico.  

O vereador Sargento Jenilson (PRTB) chama a atenção dos gurupienses sobre o projeto 012/2017 que autoriza a Prefeitura de Gurupi a vender 140 imóveis públicos sem previsão do valor venal. Já o PL número 21, cria mais três vagas de médicos para a Secretaria de Administração e não para os postos de saúde, visando apenas avaliar se os servidores podem ou não gozar de algum afastamento temporário ou definitivo, segundo Jenilson.

Outro Projeto Polêmico

O Projeto de Lei 022 dispõe sobre alteração da Lei Municipal n° 2.266, de 22 de dezembro de 2.015 e da lei municipal 2.267 de 22 de dezembro de 2015 para que o servidor do município tenha direito a indenização de transporte, caso venha a utilizar veículo próprio para realizar serviços externos relacionados a sua função.  

Segundo o vereador, o PL 022 possibilita a "criação de mais auxílio transporte" a todos os servidores públicos, inclusive, contratados, comissionados e agentes políticos de até o valor do subsídio mensal. "Ou seja, até R$ 10 mil como é o caso dos secretários municipais. O impacto pode chegar a mais de R$ 3 milhões mensais, conforme a proposta do prefeito e a folha mensal", informou o vereador Jenilson.