Campo

Foto: José Veloso

Em continuidade as ações de controle da raiva na região sul do Estado, as equipes da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) iniciaram na quinta-feira, 6, captura e monitoramento de abrigos dos morcegos hematófagos, nas propriedades rurais do município de Talismã. Até a próxima terça-feira, 11, os profissionais terão percorrido os municípios de Alvorada e Cariri. O objetivo é atender as demandas dos produtores da região e reforçar a capacitação dos agentes de saúde comunitários. A ação conta com o apoio da Secretaria de Saúde estadual e municipal.

Considerado o maior transmissor da raiva na zona rural, o morcego hematófago necessita de um controle populacional. Os técnicos da Agência capturam a espécie, tratam com pasta vampiricida para que outros da mesma espécie sejam eliminados. Além disso, enviam 10% das amostras para realização de exames laboratoriais. “Temos um trabalho contínuo, que vem sendo intensificado desde o ano passado, com intuito de colaborar com a prevenção da doença em animais e humanos”, disse o presidente da Adapec, Humberto Camelo.

O responsável pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, José Emerson Cavalcante, explica que o controle da raiva é um grande desafio, pois não tem como erradicar a doença devido a existência de espécies de morcegos envolvidas na transmissão. A solução, segundo José Emerson, é a colaboração de todos os envolvidos. “Cabe aos produtores rurais vacinarem o rebanho contra a doença, notificar a Adapec a existência de abrigos ou esconderijos dos morcegos, além de informar casos de agressão em animais, para que as providências sejam tomadas”, disse.

Parcerias

Em janeiro de 2017, a Adapec e as secretarias estadual e municipais de saúde iniciaram uma parceria para promover a capacitação sobre a raiva rural e o principal transmissor, que é o morcego hematófago, direcionada aos agentes de saúde local, uma vez que eles têm mais contato com a raiva urbana. “Temos executado um importante trabalho nesta região, pois estamos compartilhando informações que beneficiam o trabalho de ambas as partes. Esse modelo de atuação será estendido a todo o Estado”, reforça o inspetor agropecuário, José Veloso Júnior.