Polí­tica

Foto: Secom/Prefeitura de Goiânia Paulo Garcia morreu na madrugada de domingo em sua residência, após sofrer um infarto fulminante Paulo Garcia morreu na madrugada de domingo em sua residência, após sofrer um infarto fulminante

O deputado estadual tocantinense Paulo Mourão (PT) e o governador do Estado, Marcelo Miranda (PMDB) lamentaram por meio de notas à imprensa o falecimento do ex-prefeito de Goiânia (GO), Paulo Garcia (PT). O ex-prefeito morreu na madrugada desse domingo, 30, em sua residência, após sofrer um infarto fulminante.

“O Partido dos Trabalhadores e Goiás perdem um grande homem e líder político. Sua história na política iniciou através da militância nos movimentos acadêmicos da Universidade Federal de Goiás (UFG) e nos movimentos da área da saúde”, diz Mourão por meio de nota, acrescentando: “Nesse momento de dor, angústia e tristeza, rogo para que Deus dê forças e conforte os corações de familiares e amigos para que possam superar essa grande perda”, afirmou o deputado.

Já o governador Marcelo Miranda, afirmou em nota que, Paulo Garcia, era um "cidadão de bem, compromissado com a medicina e também com a política". Segundo o governador, o ex-prefeito de Goiânia deixa um legado de "companheirismo, altruísmo e respeito ao próximo". Para Marcelo Miranda o petista era um "amigo e por quem sempre cultivamos grande respeito", declarou.

Natural de Goiânia, Paulo de Siqueira Garcia nasceu no dia 13 de maio de 1959 e era médico neurocirurgião, formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Integrante do Partido dos Trabalhadores, se elegeu vice-prefeito da Capital goiana nas eleições  2008, na chapa de Iris Rezende (PMDB). Dois anos depois, em 1º de abril de 2010, assumiu a prefeitura, diante da renúncia de Rezende para disputar as eleições ao Governo do Estado. Em 2012, Paulo Garcia foi reeleito prefeito, ocupando o cargo até 2016.

O político também foi secretário de organização do PT Municipal de Goiânia, suplente de vereador do município e deputado estadual entre 2003 e 2006. Antes de ocupar cargos eletivos, foi presidente da Unimed/Goiânia por dois mandatos (1996 a 2002). Ele deixou a esposa, Tereza Beiler, e dois filhos.

O velório foi realizado ao longo do dia de ontem e o sepultamento, no final da tarde no cemitério Jardim das Palmeiras.

O governador Marconi Perillo (PSDB) e o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, decretaram luto oficial de três dias no estado e município, respectivamente.

Confira abaixo as notas de pesar.

Nota Pesar - Governador Marcelo Miranda

Lamentamos, profundamente, eu e minha família, o falecimento, neste domingo, 30, do ex-prefeito de Goiânia/GO, Paulo Garcia, amigo e por quem sempre cultivamos grande respeito. Cidadão de bem, compromissado com a medicina e também com a política, Paulo Garcia deixa um legado de companheirismo, altruísmo e respeito ao próximo.

Nesse momento de tristeza, nos solidarizamos com a sua esposa Tereza Beiler, filhos, demais familiares e amigos. Tenho a certeza de que Paulo Garcia deixa uma lacuna no Estado de Goiás, no coração e na memória de todos os que tiveram a oportunidade de desfrutar de sua amizade e de seus cuidados enquanto excelente profissional da área médica.

Paulo Garcia, que sempre se destacou em todas as atividades que exerceu, foi um exemplo de pai, amigo, filho dedicado, e um grande otimista diante da vida. Ele nos deixa saudades.

Que Deus conforte sua família neste momento de dor.

Marcelo Miranda

Governador do Tocantins

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Nota de Pesar

O Partido dos Trabalhadores do Tocantins (PT) lamenta profundamente a morte do companheiro Paulo Garcia (PT) ex-prefeito de Goiânia, neste último domingo (30/07), vítima de infarto fulminante aos 58 anos de idade. 

Natural de Goiânia, era médico neurocirurgião, formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Paulo Garcia foi secretário de organização do PT Municipal de Goiânia, suplente de vereador do município goianiense e deputado estadual de Goiás. A militância política originou-se nos movimentos da vida acadêmica na UFG e nos movimentos da área da saúde.

Nosso respeito por sua trajetória de luta. Neste momento de dor, o PT Tocantins manifesta à família e aos amigos os mais sinceros sentimentos de pesar.

Zé Roberto

Presidente estadual do Partido dos Trabalhadores do Tocantins

(Matéria atualizada às 17 horas)