Estado

Em decisão proferida nesta terça-feira, 01, a Justiça considerou procedentes as alegações da denúncia criminal apresentadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) e condenou Marcos R. de S. a quase 19 anos de reclusão pela prática de estupro de vulnerável que resultou na morte da idosa Maria Conceição Pereira Cardoso. O crime aconteceu no dia 12 de novembro de 2016, no município de Natividade.

A vítima, Maria Conceição, de 69 anos de idade, foi encontrada pela filha com graves ferimentos, ensanguentada e deitada sobre um colchão estendido na sala da casa da família, mas ainda com vida. Maria Conceição foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos, constando no laudo médico que houve dilaceramento da vagina e do ânus e que, pela profundidade dos ferimentos que atingiram o abdome, teriam sido causados possivelmente por um cabo de vassoura.

A autoria do crime recaiu sobre Marcos R., tendo sido encontradas na casa uma bermuda com carteira e documentos pessoais, além de um chinelo, pertencentes a ele. O criminoso foi encontrado escondido em uma fazenda da região.

Com as provas apresentadas pelo MPE, a Justiça considerou os fatos suficientes para a condenação de Marcos Rufino. “As provas materiais encontradas na casa da vítima e os depoimentos colhidos durante instrução processual foram imprescindíveis para desvendar a autoria desse crime bárbaro. O Ministério Público está convicto de que a justiça foi feita”, declarou a Promotora de Justiça Isabelle Rocha Valença Figueiredo.

A pena definitiva aplicada para o crime foi de 18 anos e nove meses de reclusão, em regime fechado.