Campo

Foto: Divulgação

Nem bem terminou a colheita da chamada Safrinha – com destaque para o cultivo de milho e sorgo – e os produtores da região de Pedro Afonso já iniciaram os preparativos para o plantio da Safra de Soja 2017/2018.

Cerca de 70 agricultores associados da Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa), em 12 municípios, devem plantar 38 mil hectares da oleaginosa, a partir do próximo mês de novembro.

Para garantir bons resultados no campo, profissionais das Unidades Comercial e Técnica da cooperativa estão auxiliando os produtores na aquisição de adubos, fertilizantes, defensivos agrícolas, entre outros produtos, com a vantagem de ofertarem preços menores do que os praticados pelo mercado, já que a Coapa tem parceria com grandes fornecedores. O produtor ainda tem a opção de comprar à vista e a prazo, com taxas de juros bem mais baixas.

O engenheiro agrônomo João Rossini conta que já foram atendidos 75% dos cooperados que vão plantar soja na atual safra. “Além de orientar na compra de insumos agrícolas, a Coapa também presta consultoria gratuita na elaboração dos projetos de custeio agrícola junto às instituições financeiras e assistência técnica no campo com dicas sobre adubação, escolha das melhores variedades de sementes, regulagem de máquinas, entre outras informações importantes ”, explica o profissional.

Apoio comercial  

O gerente comercial da Coapa, Nelzivan Carvalho Neves, relata que neste mês de agosto estão sendo elaborados os custos de produção que se apliquem à realidade de cada produtor. Também são feitas cotações e compras de insumos juntos aos fornecedores para melhor atender todos com custo atraente e alto nível tecnológico, além de assessoria na montagem de pastas de créditos junto a tradings e bancos.

“Já foi comercializado cerca 7% do volume de nossos cooperados ao preço médio de R$ 65,30 a saca de 60 quilos com vencimento para abril de 2018. Esse valor geralmente é para diluir no custo de produção de cada um. À medida que eles vão fazendo a aquisição de insumos para a nova safra, o departamento comercial vai montado lotes de intenção de fixação que dê ao cooperado uma lucratividade positiva, sempre escalonando as fixações para tentar diminuir o risco de mercado”, comenta o gerente.

Trabalho reconhecido

Associado desde 2000, o produtor rural Benjamim Hikokuro Baba utiliza os serviços técnicos e comerciais da Coapa. Para ele, a atenção e agilidade dos profissionais são fatores positivos. “Os técnicos estão sempre dispostos e nos atendem rapidamente quando precisamos de uma orientação na roça ou na cidade. É um trabalho que é muito útil para todos nós produtores cooperados”, diz o agricultor, que está otimista para iniciar o cultivo de 450 hectares de soja na Fazenda Sol Nascente, na área rural de Pedro Afonso.

Escoamento

Em relação à safra anterior – 2016/2017, a Coapa recebeu 76 mil toneladas de soja em seu armazém em Pedro Afonso. Desse volume, até sexta-feira, 11, já há haviam sido expedidas 72.200 toneladas.

Um total de 95% da oleaginosa produzido na região é exportado para países do continente asiático. O restante abastece o mercado interno, principalmente granjas e criadouros de bovinos e suínos das regiões norte e nordeste.