Cultura

Foto: Divulgação  Presente na missa, o governador Marcelo Miranda contou que já é uma tradição participar das festividades Presente na missa, o governador Marcelo Miranda contou que já é uma tradição participar das festividades

O povoado do Bonfim, no município de Natividade, distante 278 quilômetros de Palmas, onde vivem cerca de 30 famílias, recebeu nos últimos 11 dias milhares de fiéis que foram até o local agradecer ao Senhor do Bonfim pelas bênçãos recebidas. Um dos pontos alto da festa é a missa campal celebrada na manhã desta terça-feira, 15.

Os romeiros de diferentes cidades tocantinenses e estados vizinhos, até então espalhados nas casas do povoado e nos acampamentos urbanos, ao badalar dos sinos se uniram na procissão. Cantos de louvor ecoaram pela praça, enquanto os romeiros se esforçavam para tocar a imagem do Cristo crucificado, que passou pela multidão no início e ao final da Missa Campal. A celebração foi presidida pelo bispo da Diocese de Porto Nacional, Dom Romualdo Kujawski, e durou quase duas horas.

Presente na missa, o governador Marcelo Miranda contou que já é uma tradição participar das festividades. "Esse é um importante momento de fé, um momento de união de todos os tocantinenses. Eu tenho procurado, todos os anos, estar aqui para agradecer ao Senhor do Bonfim por todas as graças alcançadas", disse.

Romeiros

Para alguns romeiros, tudo começa com a caminhada da cidade de Natividade até a igreja matriz do Santuário. São 23 km que duram em média quatro horas.  No povoado, os fiéis participam de missas, novena, festas, batizados, homenagens ao Senhor do Bonfim e a Nossa Senhora da Conceição.

O reitor do Santuário, padre Leomar Sousa da Silva, responsável pela organização do festejo, explica que os romeiros começam a chegar ao local antes mesmo do início das solenidades. "O festejo começa dia 6 de agosto. Nos dias 4 e 5 os romeiros já começaram a chegar e ao longo dos 11 dias vai chegando mais gente", afirmou.

Existe também quem percorre centenas de quilômetros a pé ou em carrocerias de caminhões até o povoado, em agradecimento por uma graça. A dona de casa Rosalena Nunes Sousa há quatro anos caminha por três dias, saindo de Santa Rosa do Tocantins, para pagar sua promessa. "Eu tinha muita crise de asma. ‘Me apeguei’ ao Senhor do Bonfim e fui curada. Por isso, venho com muita alegria", contou.

As histórias de graças alcançadas não param. A funcionária pública Ana Marcia Rodrigues, do município de Paranã, disse que tinha um cisto nas cordas vocais e que depois de uma promessa feita por sua mãe, começou a diminuir. "Tenho gratidão pela graça alcançada. Há quatro anos participo da missa do Senhor do Bonfim. Assisto de joelho", declarou.

Há dez anos Wislei Carlos de Sousa, de Gurupi, também vai ao Santuário pagar uma promessa. "Enquanto for vivo virei agradecer ao Senhor do Bonfim. Tive problemas de saúde, pedi e ele me livrou. Vir aqui é o meu gesto de fé e gratidão", disse ele que estava acompanhado da família.

Festa do Bonfim

O festejo do Senhor do Bonfim de Natividade ocorre há mais de dois séculos e deu origem à primeira igreja construída no povoado, em 1.750. Conta a tradição que um vaqueiro encontrou uma imagem do Senhor do Bonfim em cima de um toco de árvore e, após levá-la para Natividade, a imagem voltou a aparecer de forma inexplicável em Bonfim, nas cercanias da sede do município. Como o santo não parava na cidade, os devotos começaram a seguir a pé até o povoado, onde até hoje rezam, fazem e pagam promessas por graças alcançadas e atribuídas ao Senhor do Bonfim.

Tradição

É tradição que os moradores da cidade comecem a organizar os festejos e a preparar para receber os romeiros com meses de antecedência. Geralmente pessoas mais velhas e devotas preparam o templo, lavando-o e enfeitando o altar. Como não há acomodações para os milhares de romeiros, famílias preparam alimentos e abrem suas casas para acomodar gratuitamente parentes e conhecidos. Porém, a grande maioria se instala em tendas armadas nos arredores da igreja. Na ocasião, muitos também aproveitam a oportunidade para aumentar a renda, vendendo alimentos e bebidas.

Araguacema e Tabocão

Realizada desde 1932, também ocorre a romaria do Senhor do Bonfim em Araguacema, distante 290 quilômetros da Capital, seguindo pela rodovia TO-342. É realizada de 6 a 15 de agosto e começou com uma história bem parecida com a de Natividade. Um morador teria encontrado uma imagem somente com o tronco de Jesus, posteriormente batizada de Jesus do Bonfim.

Já em Fortaleza do Tabocão, o festejo começou com a devoção de um morador local, que construiu uma capela após alcançar uma graça atribuída ao santo. Os festejos deste ano, que está em sua 38ª edição, iniciaram no dia 6 deste mês e encerram nesta terça, 15. A programação contou com celebrações temáticas, shows e cavalgadas.

Por: Redação

Tags: Marcelo Miranda, Senhor do Bonfim