Estado

Foto: Carlessandro Souza

Na manhã desta quarta-feira, 16, a equipe da coordenação estadual do Programa Criança Feliz (PFC) esteve em Pindorama do Tocantins, município localizado a 240 km de Palmas, onde deram continuidade às visitas domiciliares às famílias selecionadas pelo Programa. O primeiro município a receber às visitas do Programa foi Tocantínia, onde os visitadores capacitados iniciaram os trabalhos no último dia 26 de julho.

“O Programa foi criado pelo Governo Federal com o intuito de promover o desenvolvimento humano integral das crianças nessa fase inicial de vida. Um dos principais pilares do Programa são às visitas domiciliares para o fortalecimento de vínculo, a fim de incentivar o desenvolvimento das competências das crianças, buscando contribuir para a quebra do ciclo da pobreza, a redução da violência, a diminuição da evasão escolar, entre outros ganhos sociais”, explicou a técnica do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Roberta Sousa. 

O Tocantins foi um dos primeiros estados do País a realizar as visitas domiciliares às famílias do PCF. Segundo a coordenadora estadual do Programa, Katilvânia Guedes, 43 municípios tocantinenses aderiram ao Criança Feliz e a depender do porte, o município pode ter um número de visitadores que varia entre três e seis. “Os visitadores tem o papel de orientar às famílias sobre cuidados essenciais durante os primeiros anos de vida e avaliar o ambiente familiar no geral, identificando fatores capazes de comprometer o desenvolvimento integral da criança”, explicou Katilvânia. 

Ao todo, 100 famílias pindoramense serão atendidas pelo programa Criança Feliz. A secretária municipal de Assistência Social, Paula de Oliveira, destaca que PCF surge como uma importante ferramenta para que as famílias promovam o desenvolvimento integral das crianças. “É um programa muito importante, que irá fazer um trabalho muito bom com as famílias do nosso município”, afirmou.

Na primeira visita domiciliar desta quarta-feira, a gestante de quatro meses, Luzinete Stefane Alipio Bernardo, recebeu a equipe do PCF. Ela, que é mãe de quatro filhos, tem o pequeno Miguel Bernardo, de dois anos e seis meses, cadastrado como beneficiário do programa, disse dar toda atenção ao caçula Miguel. “Estou sempre brincando com ele, incentivo a pintar, a identificar as cores, jogar bola e outras atividades”, disse. 

Na outra casa visitada, a equipe foi bem recebida pela dona de casa, Leidiane Mascarenhas, mãe de 4 filhos. A primeira visita no seu domicílio aconteceu na última semana, quando a visitadora orientou os cuidados e estímulos que ela deveria usar para favorecer o desenvolvimento da criança. Na segunda visita ela relatou as evoluções da bebê, Railene Mascarenhas, de  oito meses. 

 “Ela já está pegando as coisas e mexendo com elas. Os irmãos foram brincar com ela e ela já pegou o chocalhinho e balançou. E também deu sinais quando retiro algo da mão dela. Ela fica olhando e chora. E eu fico satisfeita. Quero que as meninas continuem vindo pra me ajudar”, disse a mamãe Leidiane.

O método do programa é estimular a interação entre a criança e o seu cuidador. Os visitadores devem observar a dinâmica familiar e orientar os cuidadores das crianças sobre como incentivá-las, considerando as demandas e potencialidades de cada família. “Durante as visitas orientamos a mãe ou a cuidadora a interagir com as crianças, mostrando como é possível estimular o desenvolvimento infantil mesmo quando faltam brinquedos por meio de objetos existentes em casa como potes plásticos, bola de meia, ensinar a desenhar, identificar cores e outras atividades lúdicas”, disse a visitadora do PCF, Maria Bonfim. 

No Tocantins, o PCF é desenvolvido pela Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social (Setas) e gerido de forma integrada pelo Comitê Gestor Intersetorial do Programa, composto pelas secretarias de Estado da Saúde, da Educação, Juventude e Esportes (Seduc); e da Cidadania e Justiça (Seciju).