Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal César Halum (PRB) articulou um novo passo para o Tocantins se tornar um centro de produção Halal do Brasil. Halum, que é presidente do grupo parlamentar Brasil - Países Árabes, trouxe nesta quinta-feira, 17, para audiência com o governador Marcelo Miranda (PMDB) o presidente da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras), Mohammed el Zoghbi, e o especialista em finanças islâmicas Khalid Al Janahi, representante do Capital of Islamic Economy, um fundo de investimentos sediado em Dubai. 

Eles apresentaram ao governador a proposta de criação de uma plataforma financeira no Tocantins, semelhante a um fundo de investimentos, pelo qual o mercado islâmico poderá financiar a produção e exportação de produtos halal aos países árabes. 

Segundo Khalid al Janahi, o mecanismo pode tornar o Tocantins uma espécie de hub, ou concentrador, dos investimentos islâmicos. "Pelo que eu vejo das características do Tocantins, ele pode ser sim o hub de investimentos para produção de produtos halal do Brasil da América Latina. Será um modelo”, afirmou. “Hoje, o mercado halal mostra para o mundo que há condições de se produzir sem ser explorado”, acrescentou Khalid.

Este fundo de investimentos poderá financiar a instalação, por exemplo, de frigoríficos, da safra de grãos ou de outros produtos que atendam às leis e à cultura islâmica.

Tocantins foi escolhido como de sede de investimentos halal

Para César Halum, os países islâmicos, que formam a terceira maior economia do planeta, buscam segurança alimentar com produtos que atendam à sua cultura e identificaram no Tocantins um estado capaz de atendê-los em suas necessidades.

“O estoque que precisamos para começar com o mercado islâmico é o produto em estoque. O Tocantins só precisa agora mostra que tem o produto para ser industrializado dentro do processo halal e a gente fazer parte desta economia”, afirmou.

O governador Marcelo Miranda se comprometeu a acelerar as providências jurídicas e políticas necessárias para efetivar a criação da plataforma e possibilitar a rápida atração dos investimentos. "Estamos saindo mais fortalecidos e o Tocantins quer ser o carro chefe deste projeto, para que a gente possa abastecer este mercado halal", afirmou o governador.

O presidente da Fambras, Mohammed el Zogbhi, explicou que após a primeira visita ao Tocantins, no último mês de junho, o próximo passo para a concretização do projeto era a vinda de um investidor que explicasse o que precisa ser feito para se implantar a plataforma, que por sua vez receberá os investimentos que financiarão a produção e exportação dos produtos halal. “O que fizemos hoje foi dar mais um passo para trazer este tipo de política econômica para o Tocantins, e que daqui se prolifere para todo o Brasil”, afirmou.

O Tocantins já conta com um empreendimento capaz de receber empresas dispostas a processar e manejar produtos para o mercado halal. É a Zona Especial de Negócios (ZEN), localizada no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional, com ligação direta com a ferrovia Norte Sul.

Participaram da audiência os prefeitos de Colinas do Tocantins, Adriano Rabelo (PRB), de Porto Nacional, Joaquim Maia (PV), do prefeito de Rio Verde (GO), o empresário Pedro Vilaça, além de secretários estaduais e técnicos do governo. 

Mercado halal

Halal, em árabe, significa "lícito, que é permitido", e pode ser interpretado como as normas de manejo, processamento e fabricação de alimentos e produtos que atendam aos requisitos e princípios da cultura e das leis islâmicas. Para vender aos países muçulmanos, é necessário que as empresas tenham uma certificação de que o projeto é halal. E no Brasil, quem certifica esta produção é a Fambras.

Por: Redação

Tags: Atividade Parlamentar, César Halum, PRB