Meio Ambiente

Foto: Divulgação

A Comarca de Cristalândia realiza, nesta quinta-feira (31/8), a 3ª audiência pública no município de Lagoa da Confusão para avaliar os resultados parciais do projeto de gestão da bacia hidrográfica dos rios Formoso e Urubu. O juiz Wellington Magalhães está à frente do processo de mediação do acordo que busca a sustentabilidade na região.

A audiência ocorrerá no Centro Cultural de Lagoa da Confusão, a partir das 9 horas, e contará com a participação dos produtores da região, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Comitê Gestor da Bacia, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado e Ministério Público Estadual (MPE). Na ocasião serão debatidas e deliberadas novas medidas que visam a preservação dos recursos hídricos da bacia.

Entenda

Em setembro do ano passado, o MPE ingressou com uma ação cautelar pedindo a suspensão das outorgas de captação de água na bacia dos rios Formoso e Urubu por conta da escassez do recurso natural na região. Em busca de uma solução que proporcionasse segurança ambiental aos mananciais e ainda a sustentabilidade do agronegócio da região, o juiz titular da comarca de Cristalândia procurou ajuda da UFT para elaboração de uma proposta para monitoramento da utilização da água pelos produtores e diversas medidas já estão sendo tomadas. “O rio está sofrendo justamente porque nunca foi exercido controle e o que se tinha no passado eram outorgas concedidas a vários produtores”, afirmou o magistrado Wellington Magalhães.