Polí­tica

Foto: Divulgação Profissionais da Educação de Palmas estão em greve desde o dia 5 de setembro Profissionais da Educação de Palmas estão em greve desde o dia 5 de setembro

A greve dos servidores em Educação da rede municipal de Palmas/TO foi motivo de discussão entre os deputados na sessão matutina desta quinta-feira, 14 na Assembleia Legislativa do Tocantins. Deputados criticaram a intransigência na gestão do prefeito Carlos Amastha (PSB). 

Os servidores da Educação de Palmas votaram em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet) nesta última quarta-feira, 13, pela continuidade da greve. O movimento paredista da categoria teve inicio no ultimo dia 5 de setembro. A reivindicação da categoria é pelo reajuste da data-base, pagamento de retroativos, plano de cargos, carreira e remuneração em dia, além das progressões e reconhecimento da titularidade dos professores. 

Para o deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD), a Educação de Palmas passa por turbulência e o prefeito Amastha não toma providências. "Os educadores de Palmas têm sido tratados como animais em Palmas", chegou a dizer. O deputado pediu atenção às demandas da categoria. Segundo Barbosa, o gestor está preocupado em projetar candidatura para governador e esquece da Educação e servidores públicos da Capital. Segundo ele, os profissionais recebem tratamento desumano por parte da gestão. 

Barbosa falou da possibilidade de receber na AL os servidores da Educação de Palmas para saber suas demandas. "Se preciso, convocar, convidar o Sintet, a Secretaria Municipal da Educação, para em audiência tentar mediar essa questão e resolver esse problema. Não tenho dúvidas que faremos um grande bem à Educação de Palmas", afirmou. Wanderlei deu prazo até o final desta semana para que a gestão tome providências. "Se o governo municipal não tomar providência para conter a paralisação e receber os profissionais, seguramente tomaremos providências. 

O deputado José Roberto Forzani (PT) ressaltou falta de diálogo por parte da gestão. "Ao invés de negociar, tenta colocar a população contra os trabalhadores da Educação", disse. 

Escolas Públicas Climatizadas 

Eduardo Siqueira Campos (DEM)  fez uma provocação aos deputados para emenda ao orçamento do Estado para que todas as escolas públicas do Tocantins sejam climatizadas. "Se nós experimentamos esse desconforto, imagine os professores e mais do que os professores, imagine o que não passam os alunos desse Estado para tentar aprender o mínimo que seja daquilo que esforçadamente fazem os profissionais da educação", defendeu. O deputado ressaltou o intenso calor, principalmente em Palmas/TO.