Campo

Foto: Divulgação

Encerra no próximo sábado, 30 de setembro, o período do vazio sanitário da soja no Tocantins, que teve início no dia 1º de julho. Durante o vazio, é proibido aos produtores rurais manterem plantas vivas de soja em campo. Com isso, a janela de plantio para a safra 2017/2018 está liberada a partir do dia 1º de outubro até o dia 15 de janeiro de 2018.

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), apresentou nesta segunda-feira, 25, os dados relacionados às fiscalizações feitas pelo órgão durante o vazio sanitário. Foram monitoradas mais de 1000 propriedades em todo o estado, sendo realizadas cerca de 160 notificações positivas de soja tiguera, com emissão de 09 autos de infração e foram feitas a destruição das soqueiras, para o comprimento da Portaria nº 164/2016, de 02 de maio de 2016.

O gerente de Sanidade Vegetal da Adapec, Marley Camilo de Oliveira, explica que, o vazio sanitário é um método legislativo de controle de pragas, que se destaca como uma importante ferramenta no controle da ferrugem asiática da soja. “É muito importante adotar essas medidas legislativas, pois o fungo causador da ferrugem é biotrófico, ou seja, necessita-se de plantas vivas de soja para se reproduzir, contudo, no vazio sanitário evita-se essa ponte verde de uma safra para outra”, pontuou ele, acrescentando que o principal objetivo do vazio sanitário é atrasar o aparecimento do fungo para a próxima safra, sobretudo para diminuir as aplicações de fungicidas, preservando o portfólio das moléculas já existentes e diminuindo o custo de produção.

Janela de Plantio

Os sojicultores devem ficar atentos às mudanças ocorridas na legislação para o plantio de soja sequeiro no Tocantins, pois, desde a safra passada, a Adapec adotou o plantio por calendarização, que é uma janela de plantio, que vai de 1º de outubro a 15 de janeiro. O presidente da Adapec, Humberto Camelo, ressaltou que esta medida adotada pela Agência “evita-se o plantio de soja sobre soja, e consequentemente, que ocorra o aumento da ferrugem asiática da soja e outras pragas de interesse econômico”, disse o presidente.

O responsável técnico pelo Programa Estadual de Grandes Culturas, Cleovan Barbosa, explicou que todos os sojicultores devem fazer o cadastro de suas áreas junto a Adapec. “O cadastro da soja é obrigatório para o produtor, que deve entrar no site da Adapec pelo endereço www.adapec.gov.to.br e baixar o arquivo contendo o cadastro obrigatório, logo em seguida preencher e entregar no escritório da Adapec do seu município. É importante ressaltar, que o produtor tem até 05 dias uteis após o fim da janela de plantio para efetuar o cadastramento, lembrando que esse cadastro é anual”, pontuou Cleovan.

Sobre o monitoramento de pragas nas lavouras, o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal da Adapec, Carlos César Barbosa alerta os produtores para ficarem atentos ao surgimento destas, uma vez que elas podem causar grandes prejuízos, podendo chegar até 100% de percas, dependendo do grau de infestação das mesmas. “Nossos técnicos de campo também ajudam os produtores, pois realizamos várias visitas às propriedades, verificando o grau de intensidade das pragas, mas é fundamental que os produtores façam os monitoramentos frequentes, no sentido de conter as pragas no momento anterior ao nível de dano econômico”, alertou.

Por: Redação

Tags: Adapec, Marley Camilo de Oliveira, campo