Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Representantes de movimentos sociais foram recebidos pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Carlesse (PHS), e pelo parlamentar Eli Borges (PROS) na tarde dessa terça-feira, dia 26. Em pauta, os problemas do projeto de habitação popular na quadra ALCNO 33, próximo à Praia das Arnos, em Palmas.

De acordo com o coordenador estadual da Central de Movimentos Populares, Antônio Édis, o projeto não recebe recursos desde o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Como o prazo para a construção da obra vai até 2018, conforme lei estadual que doou a área, os representantes pediram a prorrogação do prazo.

Os deputados manifestaram apoio ao pleito e sugeriram ideias para as questões que escapam à competência da Assembleia. Édis relatou que a prefeitura da capital tem cobrado IPTU e taxa de iluminação dos contemplados, e que o governo federal não dispõe de recursos previstos para a finalização da obra.

Eli Borges sugeriu a apresentação de um requerimento a fim de sensibilizar a bancada federal do Tocantins e a Prefeitura de Palmas para a questão. O projeto beneficia famílias que ganham até R$ 1.800/mês.

Representantes de movimentos ligados aos indígenas, deficientes físicos, artistas e desportistas também participaram da reunião. Eles reivindicaram a abertura na capital de uma casa de apoio ao indígena, a liberação de emendas às pessoas com deficiência e a reabertura de secretaria exclusiva para a cultura. (AL/TO)