Campo

Foto: Divulgação

Na última sexta-feira, 22 de setembro, aconteceram em Caseara-TO mais atividades ligadas ao projeto PescAraguaia, que vem trabalhando com pescadores artesanais do lado tocantinense do Rio Araguaia. Nesse dia, houve uma reunião entre participantes do projeto na qual foram apresentadas as atividades de pesquisa desenvolvidas em 2017.

De acordo com Adriano Prysthon, pesquisador da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO) e líder do projeto, “uma espécie de ‘prestação de contas’ à comunidade que se predispôs a colaborar nas coletas. Foram apresentadas as atividades de captura e esforço com redes de emalhe, observando principalmente a produtividade de cada lance de pesca de acordo com o tamanho de malha utilizado pelos pescadores”.

Além disso, continua Adriano, “outra atividade relatada foi o andamento das coletas de gônadas para observar o período reprodutivo das principais espécies capturadas pela pesca. A colônia Z-06 de Caseara tem sido parceiro fundamental nestas coletas, disponibilizando suas expedições de pesca e incentivando os pescadores sobre a importância da pesquisa para os pescadores e para a pesca no rio Araguaia”.

Continuarão, até o final do ano, coletas mensais de gônadas, que são as glândulas sexuais dos peixes. Essas coletas vêm sendo realizadas pelo pesquisador Giovanni Moro. Também em Caseara, no final de outubro, haverá outra atividade ligada ao projeto.

O PescAraguaia, que tem o nome completo de “Conhecimento e adaptação tecnológica para o desenvolvimento sustentável da pesca artesanal no Rio Araguaia (TO)”, é um projeto que começou há dois anos e deve ir até 2018 - acesse página aqui. Em 2016, foram feitas visitas a 15 comunidades pesqueiras do estado, sendo 11 colônias de pescadores e quatro aldeias indígenas. A partir de dados obtidos nessas visitas, construiu-se um diagnóstico da atividade na região. Por exemplo, identificou-se que há mais de 2.000 embarcações usadas pelos pescadores artesanais do lado tocantinense do Rio Araguaia.

Nesta etapa do projeto, são parceiros da Embrapa a Colônia Z-06 (de Caseara), o Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins), a Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), a Cooperativa de Trabalho, Prestação de Serviços, Assistência Técnica e Extensão Rural (Coopter), o Instituto Federal do Tocantins (IFTO) e o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins).