Meio Ambiente

Foto: Divulgação

O supervisionamento para verificar os parâmetros de qualidade de água dos efluentes dos rios que fazem parte da bacia hidrográfica do Rio Formoso, Manuel Alves e Rio Sono, será realizado a partir do mês de outubro, pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), após convênio firmado com a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto). O convênio foi assinado nessa quarta-feira, 27, pelo subsecretário da pasta, Fábio Lelis, e o diretor executivo da Fapto, Léo Araújo.

Serão realizadas 160 amostras nos pontos fixos distribuídos nas bacias hidrográficas e 520 amostras em efluentes de pontos variáveis estabelecidos, conforme a demanda da Diretoria de Fiscalização e Qualidade Ambiental do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins). As 680 coletas serão analisadas pelo Laboratório de Química da Fapto, durante os próximos dois anos.

Na assinatura, o subsecretário, Fábio Lelis, informou que o investimento da Semarh é de R$ 1 milhão para o convênio. O recurso, de acordo com o gestor, é oriundo do Fundo Estadual de Recursos Hídricos. “A supervisão do monitoramento ocorrerá em forma de relatórios com os resultados das análises. As informações serão disponibilizadas no Boletim de Hidrometeorologia emitido diariamente pela Semarh”, detalhou.

O contrato, segundo o diretor de Planejamento e Gestão Hídrica, Aldo Azevedo, será fundamental para apontar qual é a realidade dessas três bacias. “Vamos saber como está a evolução da qualidade de água das três bacias hidrográficas, por meio do monitoramento de 85 pontos, sendo quatro amostras por ano”, explicou o diretor. Além disso, Aldo esmiuçou que as outras 520 amostras são para cobrir todo o Estado, de acordo com as ações do Naturatins. “O órgão é licenciador e as amostras serão de contraprova dos  empreendimentos que podem ser poluidores. Serão coletadas amostras para comprovar, ou não, se o empreendimento está de acordo com a legislação ambiental”, informou.