Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Vicentinho Alves (PR), coordenador da Bancada do Tocantins no Congresso Nacional, esclareceu sobre polêmica em torno da distribuição dos recursos das emendas ao Orçamento de 2018 - motivo de racha na bancada tocantinense em Brasília/DF. Os senadores Ataídes Oliveira (PSDB) e Kátia Abreu (PMDB) negam-se a assinar acordo, a não ser que os recursos sejam entregues diretamente às cidades através da Caixa Econômica Federal e não por convênio via Governo do Tocantins. Segundo declaração de Kátia, prefeitos ficarão reféns de interesses eleitorais caso os recursos caiam nos cofres do Governo do Estado. 

Segundo Vicentinho, a bancada, o presidente da Associação Tocantinense dos Municípios (ATM), Jairo Mariano, e diversos prefeitos tocantinenses, incluindo os prefeitos de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR), e de Gurupi, Laurez Moreira (PSDB), participaram de reunião na última quarta-feira, 18, para definir as emendas, incluindo as duas emendas impositivas, de execução obrigatória, no valor total de R$ 162.494.991,00.

Vicentinho afirma que, após informação de que o senador Ataídes Oliveira conduziu acordo com o Ministro das Cidades para contemplar, com recursos próprios, o município de Gurupi, haja vista que a Resolução nº 1/2006 veda que uma única emenda contemple obras distintas em diferentes cidades, a bancada concordou em destinar uma emenda para o Ministério das Cidades, no valor de R$ 64,9 milhões, para Infraestrutura Urbana. Após ouvir as reivindicações dos prefeitos, segundo Vicentinho, os parlamentares aprovaram, por ampla maioria, a apresentação da outra emenda para Aquisição de Máquinas e Equipamentos Agrícolas, no valor de R$ 97,5 milhões, contemplando os outros 137 municípios tocantinenses, por intermédio de convênio com o Governo Estadual, uma vez que a emenda de bancada não pode contemplar mais de um convênio.

O senador destaca que o Governo do Tocantins apenas distribuirá as máquinas e equipamentos para as prefeituras, abrindo mão de qualquer benefício próprio, para permitir que uma única emenda possa atender 137 municípios.

As emendas incluem, de acordo com o senador Vicentinho Alves, recursos para a Educação, Agricultura, Ciência e Tecnologia, Poços Artesianos, Prefeitura de Palmas, Prefeitura de Colinas do Tocantins, Hospital Universitário, Unitins,  BR-010 e BR-235.

Segundo Vicentinho, caso a apresentação das emendas não seja formalizada até as 18 horas desta sexta-feira, 20, os municípios tocantinenses deixarão de receber R$ 162 milhões previstos no Orçamento para 2018 de execução obrigatória, além de serem totalmente inviabilizados os recursos propostos pelas emendas não impositivas, que alcançam a soma de R$ 1,032 bilhões. 

Confira abaixo na íntegra a nota de esclarecimento do senador. 

Nota de Esclarecimento 

A propósito da apresentação das Emendas de Bancada ao Orçamento de 2018, prestamos os seguintes esclarecimentos:

A  bancada federal se reuniu na última quarta-feira para definir as emendas a serem apresentadas ao Orçamento de 2018, incluindo as duas emendas impositivas, de execução obrigatória, no valor total de R$ 162.494.991,00. Participaram da reunião o Presidente da ATM, Jairo Mariano, e diversos prefeitos tocantinenses, incluindo os Prefeitos de Araguaína, Ronaldo Dimas, e de Gurupi, Laurez Moreira. 

Foi apontada a inviabilidade de uma emenda de bancada contemplar obras em mais de um município, tendo em vista o que estabelece o Art. 47, Inciso II, da Resolução nº 1/2006, do Congresso Nacional: ”A emenda de bancada tem de identificar de forma precisa o seu objeto, vedada a designação genérica de programação que possa contemplar obras distintas ou possam resultar, na execução, em transferência voluntárias, convênios ou similares para mais de um ente federativo ou entidade privada”.

Após a informação de que o Senador Ataídes Oliveira conduziu acordo com o Ministro das Cidades para contemplar, com recursos próprios, o Município de Gurupi, haja vista que a Resolução nº 1/2006 veda que uma única emenda contemple obras distintas, a bancada concordou em destinar uma emenda para o Ministério das Cidades, no valor de R$ 64,9 milhões, para Infraestrutura Urbana. Após ouvir as reivindicaçõesdos prefeitos, os parlamentares aprovaram, por ampla maioria, a apresentação da outra emenda para Aquisição de Máquinas e Equipamentos Agrícolas, no valor de R$ 97,5 milhões, contemplando os outros 137 municípios tocantinenses, por intermédio de convênio com o Governo Estadual, uma vez que a emenda de bancada não pode contemplar mais de um convênio.

É importante destacar que o governo do estado apenas distribuirá as máquinas e equipamentos para as prefeituras, abrindo mão de qualquer benefício próprio, para permitir que uma única emenda possa atender 137 municípios.

Registramos que todas as 15 emendas a que a bancada tem direito, indicadas por todos os  seus integrantes, que incluem a destinação de recursos para  Educação, Agricultura, Ciência e Tecnologia, Poços Artesianos, Prefeitura de Palmas, Prefeitura de Colinas, Hospital Universitário, Unitins,  BR-010, BR-235  foram elaboradas respeitando a decisão da maioria da bancada, registradas em Ata, e obedecendo a todos os requisitos contidos na Resolução do Congresso Nacional nº 1, de 2006, que disciplina, nos artigos 46 e 47 (cópia anexa) as condições exigidas para a apresentação de emendas de bancada. 

Finalizando, esclarecemos que, conforme o citado dispositivo legal, são necessários 2/3 do total de senadores e ¾ do total de deputados federais para o recebimento das emendas de bancada pela Comissão Mista de Orçamento. A ata conta com as assinaturas dos deputados César Halum, Lázaro Botelho, Dulce Miranda, Josi Nunes, Profª Dorinha e Vicentinho Júnior, já tendo atingido, portanto, o número necessário na Câmara dos Deputados, e com a assinatura de um senador. Caso a apresentação das emendas não seja formalizada até as 18h desta sexta-feira, os municípios tocantinenses deixarão de receber R$ 162 milhões previstos no Orçamento para 2018 de execução obrigatória, além de serem totalmente inviabilizados os recursos propostos pelas emendas não impositivas, que alcançam a soma de R$ 1,032 bilhões. 

                                               Brasília, 20 de outubro de 2017

                                               Senador Vicentinho Alves 

                                   Coordenador da Bancada do Tocantins