Polí­tica

Foto: Divulgação

Na manhã desta terça-feira, 31, o vereador professor Júnior Geo (PROS) questionou durante sessão ordinária, irregularidades no desconto salarial dos professores municipais que estavam em greve no mês de setembro.

Segundo Geo, o corte de ponto em relação ao movimento grevista não pode ser feito em uma única parcela, como foi feito pela gestão. "Por uma questão de bom senso e legalidade o desconto deveria ser feito de forma parcelada”, destacou. Na ocasião o vereador também questionou a contagem dos finais de semana como dia letivo. “Não se corta ponto de feriado, nem de fim de semana”, afirmou.

Conforme entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) não é recomendado descontar o salário de servidor em greve em uma única parcela, tendo em vista que se trata de uma verba alimentar, e, por isso, deve ser uma medida preservada.

“Nós temos ainda uma preocupação em relação à reposição das aulas. Se os professores fazem a reposição das aulas, por que a progressão no plano de carreira tem que ser prejudicada? Se os professores fazem a reposição, o plano de carreira precisa ser mantido na íntegra”, ressaltou Geo.

Durante sua fala, o vereador também destacou a importância dos professores para o município. “São eles quem de fato cuidam da sociedade, dos nossos filhos, e lutam diariamente por dignidade e por aquilo que acreditam”, afirmou.