Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Em cumprimento a Portaria Nº 377, do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), de 23 de outubro de 2017, que proíbe a pesca no Estado, durante a piracema no período de 1º/11/17 a 28/02/18, fiscais ambientais da regional do município de Lagoa da Confusão, realizaram no período de 29/10 a 03/11, uma operação de fiscalização que resultou em 14 autos de infrações, com multas no valor de R$ 38.700,00. 

Conforme o supervisor do Escritório Regional do Naturatins de Lagoa da Confusão, Evandro Rodrigues, além de punitiva, a fiscalização também teve o caráter educativo. “Antes de punir o Naturatins busca levar a informação de forma preventiva. Mas há muitos casos que temos que punir para forçar o infrator a mexer no bolso. Somente assim ele poderá cair na realidade e entender que ao invés de realizar a pesca e a caça predatórias, deve preservar, ou seja, manter a fauna e a flora” ressaltou.

Com os infratores foram apreendidos quatro veículos, sendo um caminhão e três motocicletas, 420 metros de redes de pesca e duas tarrafas. Foram recolhidos animais abatidos como dois veados, sendo um deles servo do Pantanal, um tatu peba, uma tartaruga da Amazônia, um jacaré e 258 kg de pescado. Também foram apreendidas duas espingardas, uma calibre 22 e outra de fabricação artesanal. Os infratores em número de 10 foram conduzidos para as Delegacias de Flagrantes de Paraíso do Tocantins e Porto Nacional.

A operação de fiscalização contou com sete policiais militares ambientais do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA). Já do Naturatins foram cinco fiscais ambientais, dois agentes de suporte, um motorista e um piloto da aeronave do Instituto. Ao todo foram usados, três viaturas do BPMA, três do Naturatins e ainda a aeronave do órgão. 

Todo o pescado apreendido foi doado a entidades beneficentes localizadas nos municípios de Lagoa da Confusão e Paraíso do Tocantins.

Por: Redação

Tags: Lagoa da Confusão, Naturatins, Piracema