Polí­tica

Foto: Frederick Borges Secretário Marcos Esner Musafir Secretário Marcos Esner Musafir

O plenário da Assembleia Legislativa aprovou na sessão vespertina dessa quarta-feira, 8, a urgência de requerimento por meio do qual o secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir, é convocado a comparecer à Casa para prestar esclarecimentos sobre os fatos referentes à "Operação Marcapasso", da Polícia Federal. A matéria será votada na próxima sessão ordinária, possivelmente nessa quinta-feira, 9.

De autoria do deputado José Augusto Pugliese (sem partido), o requerimento é assinado por outros oito parlamentares: José Bonifácio (PR), Wanderlei Barbosa (SD), Zé Roberto (PT), Paulo Mourão (PT), Alan Barbiero (PSB), Eli Borges (PROS), Toinho Andrade (PSD) e Eduardo do Dertins (PPS).

Em sua justificativa, Pugliese diz que a presença do secretário é necessária, já que, de acordo com as investigações da PF, o suposto esquema de corrupção envolvia agentes e recursos públicos do Estado. “Conforme divulgado pela mídia, na esfera pública, os médicos envolvidos atuavam em paralelo com os setores de compras da Secretaria de Estado da Saúde, providenciando pareceres técnicos em licitações/pregões presenciais, que tinham a função de eliminar empresas não alinhadas ao grupo”, escreveu.

Operação Marcapasso

Autorizada pela 4ª Vara Federal Criminal de Palmas, a Operação Marcapasso investiga esquema de corrupção destinado a fraudar licitações no Estado do Tocantins. O objetivo, segundo a PF, era a aquisição de equipamentos chamados OPMEs (órtese, próteses e materiais especiais) de grande custo para o sistema de saúde.

Deflagrada nesta terça-feira, 7, a operação contou com 330 policiais federais cumprem 137 mandados judiciais, sendo 12 mandados de prisão temporária, 41 mandados de condução coercitiva contra empresários e 84 mandados de busca e apreensão nos Estados do Tocantins, Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Paraná́, Bahia, Ceará, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.