Economia

Foto: Divulgação

Apesar do aumento na movimentação do comércio já ser realidade, boa parte dos palmenses ainda não decidiu se irá presentear neste natal. A informação é do Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento, que foi às ruas ouvir a opinião dos consumidores sobre as compras natalinas de 2017.

Cerca de 20% não tem certeza se irá presentear este ano. Embora alto, o número de indecisos caiu 19% se comparado ao resultado de 2016, quando 37,5% afirmavam não saber se iriam comprar presentes. Já o total dos entrevistados que não vão presentear subiu 36,2% em relação à 2016, ficando em 54,2%. Apenas 27,1% confirmaram que devem trocar presentes em dezembro.

“É importante lembrar que a pesquisa mostra apenas a intenção do consumidor, não significa que necessariamente haverá queda nas vendas. Porém, o comerciante deve estar preparado aos sinais do cliente e buscar atraí-lo às compras”, argumenta o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni.  

E para atrair o consumidor, o comerciante pode investir em atendimento, descontos no preço e promoção. Esses foram os itens apontados pelos entrevistados como decisivos para compras de Natal, sendo a escolha de 33%, 25,1% e 18,3% dos respondentes, respectivamente.

Este ano, a quantidade e o valor dos presentes também devem ser modestos. Mais de 60% dos entrevistados afirmaram que pensam em comprar entre 1 e 2 presentes e 32,1% disseram que pretendem gastar entre R$ 50,00 e R$ 100,00. O presente ideal, para 34,4% dos respondentes, são as peças de vestuário, seguidas dos brinquedos (25,8%) e calçados (21,2%). A preferência de 46,8% dos clientes é o comércio de rua e quase 70% espera pagar em dinheiro.

Turismo

Na contramão da intenção da troca de presentes, a expectativa de viagens é alta no período natalino. Mais da metade dos entrevistados afirmaram que devem viajar no fim do ano e, entre eles, 60,4% desejam visitar outros estados, 25,6% planejam ir a outros municípios tocantinenses e 9,2% estão se organizando para ir a chácaras e fazendas.

Por: Redação

Tags: Fecomércio, Itelvino Pisoni, Natal