Palmas

Foto: Divulgação

Moradores da zona rural de Palmas temem o fechamento da Escola Estadual Rural Entre Rios, localizada no Assentamento Entre Rios, próximo a Taquaruçu e Buritirana. Pela pouca quantidade de crianças matriculadas - em decorrência de número insuficiente de professores e problemas na gestão da unidade-, um pedido de providências foi apresentado ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Secretaria Estadual de Educação.

Ao MPE, é informado que a escola foi construída há 6 anos, visando atender 250 crianças do 4° ao 9° ano - demanda das comunidades rurais de quatro assentamentos (Veredão, Serra do Taquaruçu, Estiva e Entre Rios), cerca de 300 famílias. Segundo pedido de providências, a unidade sofreu e ainda vem registrando acentuada redução no número de alunos matriculados. No momento, menos de 20 crianças estariam recebendo aulas na escola. 

Pelos problemas, pais de alunos desses assentamentos estão preferindo matricular seus filhos em escolas mais distantes, garantindo qualidade de ensino. É relatado ao MPE desinteresse por parte da diretoria da unidade, no sentido de apresentar plano de gestão e resolver os problemas da Escola. 

Seduc 

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), informou que desconhece os problemas apontados e que não foi notificada pelo Ministério Público Estadual. A escola tem capacidade, segundo a Seduc, para atender 50 estudantes, contando atualmente com 30 alunos matriculados no ensino fundamental. A secretaria ainda informou que a partir de 2018 a unidade abrirá uma turma de 1º ano do ensino fundamental para atender à solicitação da comunidade da região, possibilitando que os alunos estudem próximos de casa.

A pasta ressalta que as decisões da direção da unidade de ensino são tomadas em comum acordo com a Associação de Apoio Escolar, a qual conta com representantes da comunidade local. "É importante esclarecer que não existe déficit de professores e que não há nenhum registro que justifique o fechamento da escola. Ainda assim a Diretoria Regional de Ensino se reunirá ainda esta semana com a comunidade escolar e a associação de moradores para dirimir quaisquer dúvidas relativas ao atendimento na unidade de ensino em 2018", concluiu a Seduc.  (Matéria atualizada às 13h40min de 29/11/2017)