Economia

Foto: Divulgação

O Brasil aumentou o número de abates de bovinos no terceiro trimestre de 2017, conforme estudo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 14. Na contramão do crescimento nacional, o Estado do Tocantins apresenta queda significativa no número de abates.

Segundo os dados do IBGE, o abate de bovinos no País teve alta de 7,6% no terceiro trimestre, o que representa 562.273 bovinos a mais abatidos. Em relação ao mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 9%, aumento de 577.225 abates.

De acordo com o Instituto, quando a assunto é o número de bovinos abatidos, o Tocantins demonstra queda de 11,02% no terceiro trimestre ao comparar com os dados do trimestre anterior, ou seja, 29.262 bovinos abatidos a menos. Na relação com o mesmo trimestre do ano passado, o Estado diminuiu 1,25% o número de abates, ou seja, 2.989 animais a menos abatidos.

O desequilíbrio da cadeia produtiva agropecuária e a falta de políticas públicas voltadas à industrialização do Estado, com o intuito de promover o crescimento da produção de carnes é uma preocupação existente desde 2015, principalmente por causa das quedas anuais no abate de bovinos e, consequentemente, o aumento do desemprego.

“Nós temos uma política governamental que contrapõe o desenvolvimento industrial e a geração de emprego e renda. A cada ano somos surpreendidos pela queda do número de abates e a criação de leis pelo governo estadual, aprovadas na Assembleia Legislativa, que beneficiam o transporte de animais para serem abatidos em outros estados e as nossas indústrias tendo que diminuir o quadro de funcionários”, desabafou Oswaldo Stival Júnior, presidente do Sindicarnes/TO.

Para Stival, o governo deveria efetivar políticas públicas para fortalecer a cadeia produtiva como um todo. “Quando você analisa a nível de Brasil, observa o crescimento no número de abates, consequentemente, o aumento na geração de emprego nas indústrias frigoríficas. Mas, ao examinar os números do Tocantins, desde 2015, os índices só diminuem e confronta com demissões de centenas de famílias. Por isso defendemos o equilíbrio e nunca a segmentação da cadeia produtiva em benefício de setores específicos”, argumentou.

Mesmo com as diminuições constantes no número de abates e a falta de gado para o abate de bovinos nas indústrias frigoríficas, o Governo do Tocantins sancionou no dia 16 de outubro de 2017 a Lei n°3.267, com validade até 31 de janeiro de 2018, que reduz a alíquota do ICMS de 7% para 4% para a venda de gado vivo a outros Estados da Federação.

Por: Redação

Tags: IBGE, Oswaldo Stival Junior, Sindicarnes