Estado

Foto: Divulgação

Até o dia 27 de março, socioeducandos da Unidade de Semiliberdade (USL) de Araguaína participam de um curso de confecção de tapetes com sobras de malhas ou retalhos. As aulas começaram nesta terça-feira, 30, e serão ministradas sempre às terças-feiras, das 9 às 12 horas. Atualmente a unidade está com sete adolescentes cumpridores de medidas socioeducativas.

As aulas são ministradas pelas servidoras Maria Eternia Batista Arrudaque, que é assistente social na USL, e Francinete Noleto Pinto, assistente administrativa. A idealizadora foi a servidora Janecleide das Neves. Segundo Francinete, o material utilizado para a produção, que são os retalhos de malhas, é adquirido por meio de doações de malharias e confecções da cidade.

Para a coordenadora da USL, Adriana Vieira, além de proporcionar uma renda para o adolescente e sua família, o artesanato é uma terapia. “Nas aulas, enquanto estão trabalhando com as mãos, estão com as mentes ocupadas com pensamentos bons, positivos. Isso proporciona a eles calma e paz interior”, descreve.

Meta

O curso tem como meta não somente o reaproveitamento de materiais que seriam descartados, mas, sobretudo, ensinar e incentivar os socioeducandos a importância do artesanato, da reciclagem. Funciona também como uma terapia. “Com tantos benefícios, nossa ideia é que o projeto seja permanente, não vise somente uma renda para os socioeducandos, que poderão ter suas produções comercializadas, mas também seja uma fonte de renda para suas famílias, uma vez que eles poder se tornar multiplicadores das técnicas produtivas”, avalia Francinete.