Polí­cia

Foto: ASCOM/SSP Utilizando-se de uma “gambiarra”, que era instalada à noite e removida ao amanhecer Utilizando-se de uma “gambiarra”, que era instalada à noite e removida ao amanhecer

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia especializada na repressão a crimes praticados contra concessionárias prestadoras de serviços públicos, (Derfae), efetuou a prisão de José F. A. na tarde desta última quinta-feira, 1º de fevereiro. Ele é suspeito pela prática dos crimes de furto de energia elétrica e fraude processual, sendo detido, quando se encontrava em sua residência localizada na quadra 1003 Sul, em Palmas.

Segundo o delegado Elírio Putton Júnior, responsável pelo caso, os policiais civis da Derfae receberam uma denúncia anônima de que José estaria realizando furto de energia elétrica, utilizando-se de uma “gambiarra”, que era instalada à noite e removida ao amanhecer.

Com base nas informações recebidas, os agentes, acompanhados por funcionários da Energisa, foram até o local e constataram que o autor havia feito uma ligação clandestina, e dessa maneira, evitava a medição do consumo de energia pelo medidor instalado na residência.

Durante a abordagem, o autor ainda subiu em uma escada e arrancou a fiação utilizada no “gato”, causando grande risco para sua vida e incorrendo no crime de fraude processual, ao tentar alterar o estado do local, com a finalidade de induzir à perícia a erro e, dessa forma, se livrar do processo criminal.

O perito Edson Pereira, do Instituto de Criminalística, especializado em análises técnicas dessa natureza, periciou o local e constatou a prática do material utilizado para furto de energia, bem como a situação adulterada pela atitude do autor.

Em razão da prática dos crimes constatados, o suspeito foi autuado em flagrante e, após os procedimentos legais cabíveis, foi recolhido à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Ainda conforme o delegado, as ações da Derfae foram intensificadas com o objetivo de identificar mais situações como essa. “Somente em 2018 já são sete prisões realizadas pela Derfae, por crimes de furto de água tratada e energia elétrica, o que deve servir de alerta para quem comete esse tipo de crime”, ressaltou o delegado.