Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR), lamentou na noite desta terça-feira, 3 de abril, que a eleição suplementar a ser realizado no dia 3 de junho para o Governo do Estado não deva ter os principais candidatos até então colocados na disputa. “Excluir os principais candidatos fere o princípio básico da democracia. Provavelmente, o eleitor será obrigado a escolher pessoas que, inicialmente, não eram de suas preferências, o que não está correto”, ressaltou Dimas.

Ao confirmar que não vai renunciar ao cargo de prefeito e, portanto, não vai disputar eleições este ano, Dimas também lamentou a falta de respaldo partidário. “Infelizmente, aquilo que se colocou para nós mudou radicalmente por interesses que não foram os mais nobres”, frisou o gestor.

Dimas agradeceu a todos os prefeitos, líderes e população em geral que o respaldaram, até agora, no plano inicial de disputar a eleição de outubro. “Sempre tivemos uma pré-candidatura muito bem colocada. Logo no primeiro mês, ficamos entre a primeira e a segunda colocação, e sempre com o nosso prestígio subindo a cada sondagem. Só tenho a agradecer a todas estas pessoas que confiram em mim e na nossa proposta”, salientou.

Dimas destacou que não ficará de fora dos debates de outubro. “Com certeza alguém, entre os outros candidatos, vai conseguir apresentar propostas sérias para recuperação do Estado e de uma política ética, de bom relacionamento com todos, mas primando por resultados que possam tirar o Tocantins da crise”, resumiu.