Polí­tica

Foto: Divulgação

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) no Tocantins deve lançar na próxima quinta-feira, 12 de abril, a candidatura Marcos Sousa na eleição suplementar para o Governo do Estado.

Nesta sexta-feira, 6, o pré-candidato fez uma visita ao Conexão Tocantins para falar de seu projeto. Sousa quer trocar o chão da cerâmica que fundou logo que chegou na capital em 1989 pelo chão do Palácio Araguaia. Já se declarou pré-candidato à eleição de 3 de junho e acredita piamente que será reeleito em outubro.

Além de empresário Marcos Sousa foi também secretário municipal de Palmas na gestão Raul Filho e chegou a disputar eleição à prefeitura de Palmas como vice de Raul. Ainda assim, o empresário nega que seja um “político profissional”.

Nome pouco conhecido pelo eleitorado – em comparação à fama dos políticos tradicionais do Estado – Marcos Sousa diz que decidiu não fazer carreira na política para se dedicar à família, mas que agora não tem como negar o “clamor da sociedade”. “Eu fui candidato à vice-prefeito mas continuei empresário. Quando terminou a eleição no domingo, na segunda-feira eu já estava de volta ao meu posto de trabalho. E agora não tem como eu negar a convocação do meu partido”, declarou o pré-candidato.

Mesmo sem ter ocupado nenhum cargo eletivo, Sousa se diz preparado para assumir a missão de governar o Estado. Diz que vai trabalhar com uma máquina enxuta e extinguir os cabides de emprego no funcionalismo público.

Seu ponto de vista mais polêmico é a forma como pretende governar. Segundo ele, não vai barganhar com os deputados estaduais em troca da aprovação de seus projetos. “A Assembleia Legislativa tem o dinheiro que é dela, mas eles vão ter que sobreviver com o dinheiro que é deles. Eu não negociarei”. afirmou Sousa, deixando no ar uma dúvida se desconhece o jogo político ou se está falando o que o eleitorado quer ouvir.

Para viabilizar sua candidatura Sousa pretende contar com a verba do partido e doações de empresários, além do autofinanciamento. “Fala-se em R$ 10 milhões para viabilizar uma candidatura a governador do estado no Tocantins, eu vou fazer com muito menos que isso”.

O pré-candidato aposta nas redes sociais para divulgar sua candidatura e também tem percorrido cidades do interior em pré-campanha. “Estamos indo onde ninguém gosta de ir, que são os assentamentos rurais”.

Quanto às alianças partidárias o pré-candidato disse que ainda estão conversando com possíveis aliados, mas que não vai fazer aliança com outros políticos ou partidos apenas por interesses particulares. “Tivemos políticos que chegaram dizendo que pagariam a campanha se nós déssemos a vaga de deputado federal ou senador e nós negamos”, revelou.

Quanto ao candidato a vice-governador em sua chapa, Marcos Sousa disse que o nome será definido na convenção do dia 12 de abril.