Esporte

A novata Regiane, do Rexona, foi designada para a vaga e já está inA novata Regiane, do Rexona, foi designada para a vaga e já está inscrita.

A atleta foi pega em exame antidoping com a substância sibutramina no último jogo das finais do Campeonato Italiano, em derrota de seu time, Jesi, para o Perugia.

"Estou sabendo há 1h30 disso, estou meio perturbada da cabeça. Não sei direito o que está acontecendo, ainda não entrou na minha cabeça", afirmou Jaqueline. A jogadora, que vai para Recife, sua cidade natal, ainda nesta quinta, acredita que ingeriu a substância em um chá verde que tomou contra celulite.

A CBV não foi comunicada oficialmente do incidente, mas, por medida preventiva, decidiu excluir a jogadora do Pan. A equipe será confirmada em congresso técnico do evento nesta quinta, em que a entidade tentará inscrever Regiane.

"Como não temos tempo para defender a atleta, a comissão técnica decidiu pela dispensa da jogadora", afirmou Júlio Nardelli, médico da seleção.

A sibutramina é listada como "substância específica" no código da Wada (Agência Mundial Antidopagem). Ela é particularmente suscetível a um uso não-intencional, por ser largamente encontrada em produtos medicinais. Por conta disso, ela pode ter sua punição reduzida, caso alegue não ter tido a intenção de melhorar seu desempenho esportivo.

"Lembro que nas finais do campeonato eu fui a uma farmácia comprar um remédio que sempre tomo [para tireóide]. Vi um produto novo, que era um tal de chá verde e acabei perguntando quais as substâncias, me disseram que era natural. Achei interessante, e a vendedora me falou que não tinha doping", contou a atleta, que foi aprovada em exame antidoping do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

"Eu errei por ter tomado o chá sem me informar melhor antes. Sou leiga em italiano e as informações estavam em italiano. Tomei o chá durante três dias e depois parei, porque achei o gosto muito ruim. Foi no quarto dia que fiz o exame", completou a atacante.

Jaqueline afirmou que não teme pela continuidade de sua carreira. O médico da CBV acredita que a punição para a atleta não deve se estender por mais de dois meses.

"Já passei por tantas coisas difíceis na minha vida e isso vai ser superado. Não sou de ficar fumando ou bebendo, sou uma jogadora bem tranqüila. Já passei por duas contusões no joelho e trombose na mão aos 17 anos. Fiquei quase dois anos parada, perdi um Pan-Americano e uma Olimpíada que poderia estar disputando", afirmou a atleta.

Regiane, campeã da Superliga pelo Rexona neste ano, já estava reunida com a equipe em Saquarema. Ela participou da série de amistosos preparatórios neste mês, em sua primeira convocação.

Por: Redação

Tags: cidade, Esporte