Ciência & Tecnologia

Máquinas fotográficas digitais com muitos megapixels de resolução de captura são as grandes vedetes do mercado. As máquinas amadoras, voltadas ao segmento apontar-e-fotografar, já atingem a marca dos 10 MPs, e a promessa para futuros lançamentos indica que ainda vamos chegar a mais.

O UOL Tecnologia testou seis câmeras fotográficas digitais com resolução a partir deste marco: Canon PowerShot G7, HP Photosmart R967, Kodak EasyShare Z1275, Panasonic Lumix FX 100, Pentax Optio A20 e Sony CyberShot N2.

As câmeras da Kodak e Panasonic têm 12 MP de resolução e permitem a impressão de fotos de 33 x 25 cm (13 x 10 polegadas). As demais têm 10 MP, com capacidade de imprimir fotos no tamanho de 30 x 23 cm (12 x 9 polegadas). Isso sem "granular" ou "estourar" os pontos da imagem.

A primeira preocupação de quem quer comprar uma câmera com muitos megapixels (você precisa mesmo de tanto?) é o tamanho da memória. Afinal, muitos megapixels geram arquivos grandes. Para armazená-los é necessário cartões de memória com grande capacidade. Uma foto tirada com 12 MP fica em média com 4,9 MB. Se você tiver um cartão de 32 MB, vai poder guardar somente seis fotos.

Com exceção da Canon G7, todas as câmeras de nosso teste vêm com memória interna. A HP Photosmart R967 vem com 64 MB, enquanto as outras vêm com 32 MB. Esta memória interna em todos os modelos, menos na Canon que não tem, é compartilhada com o sistema. Utilizar a memória interna é um bom negócio somente para fotos tiradas com resolução de captura mais baixa, senão você vai guardar poucas imagens.

A Sony N2 utiliza cartões de memória flash do tipo Memory Stick Duo, enquanto as outras máquinas de nosso teste vêm equipadas com entrada para cartões do tipo SD/MMC.

Lentes são importantes

As lentes são fundamentais para se ter boas fotos, pois elas definem a quantidade e a qualidade da luz que é capturada na hora de fotografar. O fator óptico é completamente determinante para se obter uma imagem de alta qualidade.

A quantidade de megapixels, neste caso, vai ajudar a compor a imagem na hora da impressão em papel, definindo seu tamanho máximo sem que fique "granulada", mas o principal foi feito pelas lentes no momento da captura.

Câmeras fotográficas digitais com lentes de primeira linha não necessitam de muitos megapixels se o uso for apenas para diversão. Lentes de qualidade oferecem bons recortes e boa leitura de planos.

Lentes tradicionais

As câmeras de nosso teste vêm equipadas com lentes de fabricantes tradicionais e reconhecidos mundialmente por sua qualidade. A Panasonic utiliza lentes da Leica e, observamos no teste, é a que consegue a melhor definição, recorte de planos e é a que melhor trabalha a mistura de luzes.

Sony tem lentes da CarlZeiss; a Canon e a Pentax saem de fábrica com lentes próprias, que são muito utilizadas no mundo profissional da fotografia. A Kodak vem com lentes Schneider-Kreuznach e a HP vem com lentes próprias.

A distância focal é um item muito importante para definir a qualidade das lentes. Aqui temos de fazer um paralelo com as câmeras convencionais de filme e ver qual o equivalente neste ponto.

O padrão de distância focal das máquinas fotográficas é 35 mm. Para você ter uma idéia, a distância de 50 mm corresponde ao ângulo do olhar humano. Em distâncias menores, como, por exemplo, 28 mm temos o que se chama "Grande Angular", utilizada para ambientes fechados. Nas distâncias maiores como 108 mm temos a "Teleobjetiva", que é usada para fotografar paisagens ou trazer detalhes.

Zoom óptico

Outro ponto importante para as lentes é o zoom óptico. Ele consegue aproximar os detalhes sem distorcer a imagem, nem prejudicar o foco como ocorre com o zoom digital, que, em alguns casos, deixam a imagem tremida.

As câmeras de nosso teste têm, em média, zoom óptico de 3x. Destaques para a Kodak Z1275 que vem com 5x e a Canon G7 com 6x.

Ajustes Manuais

Com exceção da Panasonic FX 100, todas as câmeras testadas permitem fazer ajustes manuais para a velocidade do obturador e abertura do diafragma. Esses ajustes permitem que você tenha um controle muito maior do vai ser fotografado e assim escolher como quer que a sua foto saia.

No entanto, é necessário que você tenha domínio técnico e entenda os conceitos de exposição e captura de luz. Além disso, em algumas situações com muita exposição e velocidades baixas, você vai precisar de um tripé para que a foto não saia tremida.

Entre todas as câmeras testadas, a Sony N2 é a que dá a melhor indicação de como ficará a foto com os ajustes manuais que estão sendo feitos. O visor de LCD mostra os ajustes na luz enquanto as alterações são feitas.

UOL tecnologia

Por: Redação

Tags: Mundo Digital, tecnologia