Opinião

Formação vegetal localizada nas margens dos rios, córregos, lagos, represas e nascentes, as matas ciliares também conhecidas como matas de galeria, matas de várzea, vegetação ou floresta ripária, são de fundamental importância para a manutenção da harmonia da paisagem, auxiliando na formação de corredores para a biodiversidade, na recuperação da biodiversidade nos rios, além de auxiliar no controle biológico das pragas e melhorar a qualidade de vida, dentre outras vantagens para os seres viventes.

O nome "Matas ciliares" vem do fato de serem tão importantes para a proteção dos rios, lagos como são os cílios para os nossos olhos. Por isso são consideradas pelo Código Florestal Federal como "áreas de preservação permanente", com diversas funções ambientais, devendo se respeitar uma extensão específica de acordo com a largura do rio, lago, represa ou nascente. Elas também são uma proteção natural contra o assoreamento. Sem elas, a erosão das margens leva terra para dentro dos rios, córregos e lagos tornando-os barrento e dificultando a entrada da luz solar.

As pastagens são a principal razão da destruição das matas ciliares. Um exemplo a ser citado é o Estado do Tocantins, que se tornou fronteira agrícola e pastoril, aonde muito produtores rurais burlam as leis ambientais na busca de aumentar a área de pastagens ou para plantação de grãos em suas propriedades. Tal atividade criminosa tem dado muito trabalho à fiscalização do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ( Ibama).

Zacarias Martins

Por: Redação

Tags: Estado, Meio Ambiente, Opinião, Tocantins