Ciência & Tecnologia

O aumento do volume de mensagens indesejadas de correio eletrônico segue incontrolável. A remuneração que os criadores de spam recebem é a principal causa do incessante aumento desse tipo de mensagens, revela um estudo da empresa de segurança GData.

Segundo dados da companhia, o spam já totaliza 95% de todas as mensagens de correio eletrônico que são enviadas pelo mundo. De acordo com a Sophos, no terceiro trimestre de 2007, o Brasil foi o 5º maior emissor de spam do mundo.

E quanto mais mensagens de correio eletrônico não desejadas são criadas e enviadas, maior é o montante monetário que se recebe.

Os spams relacionados com temas farmacêuticos, como a venda de remédios Viagra, encabeçam a classificação deste tipo de mensagens, representando 30% do total. Nesta linha, o estudo destaca que os e-mails em formato PDF caíram de 30% do volume das mensagens de correio eletrônico não desejados no primeiro trimestre deste ano para 5% no último trimestre.

Para os responsáveis da GData, é preciso estar alerta para este tipo de mensagens e tentar frear a atividade, já que as conseqüências que se derivam do recebimento podem ser graves.

Além da perda de tempo e queda da produtividade no trabalho, o perigo está no recebimento de e-mails maliciosos, que transmitem códigos maliciosos.

As mensagens maliciosas já representam 8% do total de mensagens de correio eletrônico desejado, de acordo com dados deste estudo, que alerta ainda que 50% das vulnerabilidades são provocadas por software malicioso.

Da redação com informações PC World

Por: Redação

Tags: Mundo Digital