Campo

Foto: Divulgação

O primeiro vinho fino produzido no cerrado brasileiro será lançado no mês que vem. O produto é resultado de parceria entre a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e a Fazenda Salvaterra, em João Pinheiro, no Noroeste do estado. Segundo o pesquisador Murillo Albuquerque, da Epamig, a bebida tem três importantes fatores. “A originalidade, por se tratar do primeiro vinho nobre da uva syrah no cerrado brasileiro é um deles”, diz. A fabricação mostra o potencial da região para cultivo de videiras para produção da bebida, nova alternativa para geração de renda e mão-de-obra especializada.

Outro fator importante, segundo o pesquisador, é que o vinho surgiu de uma parceria público-privada. “Essa modalidade possibilitou que a iniciativa de empresários pioneiros no cultivo de videiras pudesse ser viabilizada dentro das dependências da Epamig”, afirma Albuquerque. A plantação atuou como uma base incubadora de empresa, elaborando o vinho e permitindo a validação do seu potencial qualitativo.

O terceiro elemento considerado importante é o fato de a cultura apresentar inovação tecnológica, como a dupla poda, necessária para alteração do ciclo de colheita da uva para uma época do ano em que as condições climáticas são mais favoráveis para a qualidade dos vinhos. “Essa técnica já era empregada no Brasil, para produção de uva de mesa, mas, para vinhos finos, começou a ser pesquisada pela Epamig, em Três Corações, com apoio da Fapemig, em parceria com a iniciativa privada. Hoje, já está sendo empregada em diferentes regiões mineiras”, explica Albuquerque.

As videiras são podadas de janeiro a março e as uvas colhidas no inverno, época em que o solo seco, os dias ensolarados e as noites frescas permitem a colheita de com maturação e sanidade de melhor qualidade, dando origem a vinhos mais nobres.

O primeiro vinho syrah do cerrado é marcado por sua intensidade de cor e aromas de frutas bem maduras. Ele apresenta bom equilíbrio na boca, boa estrutura e baixa acidez, e médio potencial de envelhecimento, podendo acompanhar carnes vermelhas. O aumento do consumo da bebida no Brasil gerou crescimento das áreas de cultivo de videiras para esse fim no Brasil e, mais especialmente, em Minas. Para incentivar a cultura, a Epamig lançou o informe agropecuário “Vinhos finos: rumo à qualidade”. Na revista são apresentados os pólos tradicionais e emergentes na produção, implantação e manejo do vinhedo, caracterização macroclimática e potencial das regiões mineiras.

O Brasil produz 1,2 milhão de toneladas de uvas por ano, das quais 45% são destinadas ao processamento. A importação é de 40 milhões de litros. A produção nacional se concentra no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, sendo que 81% dos produtos processados são de vinhos de consumo corrente e sucos de uva e apenas 10% , nobres.

Da redação com informações Estado de Minas

Por: Redação

Tags: Tocantins, Vinho, campo