Estado

A operação educativa/repressiva realizada pela Coordenadoria de Fiscalização do Procon do Tocantins no período de 28 de janeiro a 1º de fevereiro resultou em 1.784 produtos apreendidos e posteriormente destruídos no aterro sanitário dos município alvo da fiscalização.

Durante a operação, 91 estabelecimentos foram fiscalizados, dos quais 15 foram autuados e 14 sofreram autos de apreensão. Foram constatados ainda produtos vencidos e sem data de validade, procedência e etiquetagem de preços. A fiscalização envolveu supermercados, hipermercados, mercearias, postos de gasolina, farmácias e comércio em geral dos municípios de Colinas, Colméia, Couto Magalhães, Goianorte, Itaporã, Juarina, Pequizeiro e Presidente Kennedy.

O objetivo foi verificar a data de validade dos produtos expostos à venda no mercado de consumo, conferir a etiquetagem de preços, o valor ofertado com o preço efetivamente cobrado, a procedência e informações exigidas por lei em todos os produtos e a política de aceitação de cheques e cartões de crédito.

Entre os produtos apreendidos estavam carnes (frango, lingüiça caseira suína e bovina e etc.), leite, frios e derivados, farinha, derivados de milho e mandioca, trigo, chocolate, achocolatado, doces e salgados, biscoitos, enlatados, temperos, produtos de higiene e de limpeza, diversos, café e chá, refrigerantes, cervejas e sucos.

Para o coordenador de Fiscalização do órgão, Sérgio Francisco da Silva, o resultado foi positivo, embora 16% das empresas tenham sido autuadas (a média é de 10%), nas cidades onde há núcleos regionais de atendimento do Procon. Francisco ressalva ainda que este índice está abaixo dos indicadores em visitas anteriores.

Da redação com informações: Secom

Por: redação

Tags: Estado, Procon