Ciência & Tecnologia

Os primeiros passos para liberar espaço no HD são limpar a lixeira do Windows (clicando com o botão direito sobre ela e escolhendo "esvaziar"), apagar os arquivos temporários da pasta "Temp" (geralmente em C:WindowsTemp) e os do cache da Internet, no menu "Ferramentas" do seu navegador. Você pode aproveitar e diminuir o espaço destinado à lixeira e aos temporários da Internet, para que eles não voltem a roubar tantos megabytes do disco. O padrão da lixeira é usar até 10% do disco, o que é um absurdo em HDs maiores.

No Windows XP também é possível acionar o "Utilitário de limpeza de disco", que centraliza algumas das operações descritas acima e ainda lhe dá a valiosa opção de descartar os pontos de restauração do sistema. A ferramenta que armazena uma "foto" do seu computador antes da instalação de programas ou alterações em geral pode ser útil para desfazer mudanças problemáticas, mas não há porque deixá-la ocupar centenas de MB com pontos de restauração de meses atrás, que dificilmente serão necessários. Livre-se deles clicando na guia "Mais opções" do utilitário.

Outra opção muito pouco conhecida, mas altamente eficiente, é desativar o recurso de hibernação do Windows. Se você não costuma usá-lo para fazer o micro "dormir" e depois "acordar" no mesmo ponto em que estava, pode economizar aproximadamente a mesma quantidade de memória RAM do seu computador em espaço no HD. Para saber exatamente quanto dá para liberar, procure o arquivo hiperfil.sys e verifique o seu tamanho. Se achar que vale a pena, abra o Painel de Controle, clique em “Opções de Energia” e desmarque o item Hibernação. O Windows apagará o arquivo hiperfil.sys, devolvendo aquele espaço ao HD.

Por fim, outra coisa que pode ser apagada são os arquivos de "prefetch" do Windows XP. Estes não ocupam muito espaço, mas sua remoção costuma tornar o computador mais rápido. O prefetch é um recurso do Windows XP que inicia a carga dos programas mais usados antes mesmo de você executá-los, o que ajuda a melhorar o desempenho do micro. O problema é que, com o tempo, a pasta C:WindowsPrefetch fica cheia de arquivos pouco usados. Você pode apagar todos e deixar o Windows gravar novamente os realmente usados (o que leva algum tempo, então não é uma boa fazer isso com freqüência) ou apagar apenas os que não são usados há alguns meses.

Livrando-se de recursos inúteis

Se você já fez uma busca na última versão do Windows, deve ter notado um simpático cachorrinho amarelo que aparece para ajudá-lo na procura. Bonitinho, mas depois do fiasco do clipe de papel falante do Office, a Microsoft deveria ter aprendido que as pessoas não querem bichinhos intrometidos saltando na tela do computador. Para se livrar dele, execute o editor de registro (Iniciar/Executar/regedit), procure a linha HKEY_CURRENT_USERSoftwareMicrosoftWindowsCurrentVersionExplorerCabinetState, clique no lado direito da tela e selecione Novo > Valor da seqüência. Chame o valor de "Use Search Asst" (sem as aspas) e defina seu valor como "no". Adeus, totó!

Já se você não tem o hábito de usar a ferramenta de busca do Windows XP, também pode ganhar desempenho desativando o recurso de indexação responsável por agilizar as procuras. Abra o Painel de Controle, clique em Adicionar e remover programas, Componentes do Windows. Desmarque o item "Serviço de Indexação" e pronto. Isso libera memória do computador e evita que ele perca tempo criando a tabela de índice. Se você achar a busca muito lenta (pois lenta ela sempre é), basta instalar o recurso novamente.

Aproveitando a passagem pela tela "adicionar e remover programas", outra dica interessante é remover aqueles acessórios do Windows que ninguém usa, como o MSN Explorer e o Windows Messenger (não confundir com o Windows Explorer e o MSN Messenger!). Para conseguir isso, é preciso localizar o arquivo Sysoc.inf, na pasta C:WindowsInf. Trata-se de um arquivo de sistema e oculto, então é preciso ativar a visualização desses componentes na tela Ferramentas/Opções de Pasta/Modo de Exibição do Windows Explorer. Ao encontrar o arquivo, clique com o botão direito e escolha a opção Editar. Apague todas as ocorrências da palavra "Hide" e salve o arquivo. Pronto: agora é só voltar à tela "adicionar e remover" e todos os outros programas estarão visíveis.

Melhorando o conforto visual

Antes do Windows XP, a resolução padrão do micro logo depois da instalação do sistema operacional era o VGA, com 640x480 pontos. Os mais experientes tratavam logo de mudar para as mais confortáveis resoluções de 800x600 ou 1.024x768, mas muita gente passava a vida inteira trabalhando em 640x480, com ícones e janelas enormes e pouco espaço na tela para documentos e páginas Web. Com o XP, o padrão passou para 800x600, o que já é um avanço, mas ainda assim vale dar uma olhada na configuração do seu Windows e ver se é a ideal para suas necessidades.

Clique com o botão direito na área de trabalho (sem acertar nenhum ícone) e escolha a opção "Propriedades". Na aba "Configuração", a opção "Área da tela" mostrará a resolução atual e um controle deslizante para alterá-la. As opções disponíveis dependem da sua placa de vídeo, mas pelo menos os três valores citados acima devem estar lá. Qual deles escolher? Depende do tamanho do monitor e da sua acuidade visual. Em monitores pequenos, de 14 e 15 polegadas, resoluções acima de 800x600 costumam incomodar quem não enxerga muito bem, pois tudo fica muito pequeno. Se o seu monitor é de 17" ou mais, o ideal é trabalhar com pelo menos 1.024x768. Nos monitores de 19", 1.280x1.024 é uma boa pedida.

Junto com as opções de resolução, temos as configurações de cor. O Windows pode ser configurado para trabalhar com 16 cores, 256 cores, high color (cor de 16 bits, com 64 mil tonalidades diferentes) ou true color (cor de 32 bits, com 16,7 milhões de tons). Se a sua placa de vídeo e monitor permitirem, coloque em true color para uma melhor reprodução das imagens. Mas, definitivamente, não deixe em 16 ou 256 cores (opções que nem existem mais nas versões mais recentes do sistema), pois suas fotos ficaram estranhas e a maioria dos sites, também.

Já que estamos mexendo nas configurações da tela, é uma boa oportunidade para ver como anda a freqüência de operação do seu monitor. Se você tem a sensação de que o monitor está tremendo, provavelmente ele está usando uma taxa de atualização muito baixa, na casa dos 60Hz. Clique no botão "Avançado" da tela de configurações e escolha a aba "Monitor". Marque a opção "Ocultar os modos que este monitor não pode exibir", veja quais são as alternativas de frequência disponíveis e escolha a mais alta de todas. Se o máximo possível são os instáveis 60Hz, talvez seja melhor reduzir a resolução ou o número de cores para poder aumentar a freqüência.

Fonte: W News

Por: redação

Tags: Mundo Digital