Economia

Foto: Divulgação

A previsão de chegada dos trilhos da ferrovia Norte-Sul a Palmas (TO) no início de 2009 está gerando expectativa nos produtores do norte mato-grossense.

A projeção é que saia, ano que vem, licitação para construir um ramal da ferrovia para escoar a produção de Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sinop, Nova Mutum e outras cidades. Mas antes de 2012 as obras não devem ficar prontas.

Neste caso a previsão é que o escoamento da safra agrícola e madeira do nortão de Mato Grosso aconteçam pelos terminais modais instalados no Tocantins. Por estes modais a produção chega até o porto de Itaqui, em São Luiz (MA).

A ferrovia encurtará em cerca de mil quilômetros a rota para escoar a produção da região Médio Norte do estado vizinho, hoje feita por rodovias até os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR).

Além de reduzir custos com fretes em aproximadamente 50%, a Norte-Sul permitirá economia de tempo. Serão 15 a 20 dias a menos para se colocar um produto no mercado europeu ou americano pelo porto de Itaqui em relação aos portos do sul do país.

Pelo corredor do Tocantins serão escoadas as produções de municípios como Lucas do Rio Verde, maior produtor de milho safrinha do país e que está entre os campeões na produção de soja. Sorriso, município vizinho, é o maior produtor da oleaginosa. Sinop e cidades da região têm considerável volume de madeira que são exportados.

Umberto Salvador Coelho