Estado

Chegou ao momento decisivo um processo de discussões e apresentação de propostas iniciado ainda em setembro de 2007, quando o presidente Lula lançou a 1ª Conferência Nacional de Juventude, uma mobilização que teve início nas escolas e universidades, passou pelos municípios e estados, até chegar à Brasília. Na capital federal, a partir deste domingo, 27, até a próxima quarta-feira, 30, mais de 100 tocantinenses estão reunidos com outros 2 mil delegados de todo o Brasil para definir e encaminhar à Presidência da República um conjunto de 21 prioridades da política nacional de juventude.

A delegação tocantinense tem como principais bandeiras as políticas em defesa do meio ambiente, a criação de mais universidades públicas e políticas para facilitar o acesso de jovens ao mercado de trabalho. "Essas são também propostas defendidas pela grande maioria dos estados presentes, o que aumenta muito suas chances de aprovação na plenária final", foi o que constatou o secretário Estadual da Juventude Ricardo Ayres.

Para o delegado do município de Guaraí, Wilson Ricardo, os tocantinenses vieram defender as idéias que começaram a ser debatidas nos municípios. "Viemos defender as necessidades da juventude tocantinense que defende quase que na totalidade as mesmas propostas", disse.

A cerimônia de abertura teve a participação de vários ministros de estado, entre eles a da ministra do meio ambiente, Marina Silva, que defendeu em seu discurso as ações em prol do meio ambiente. "Pensar em si mesmo é fácil. Difícil é pensar nas futuras gerações que vão ser as principais vítimas da destruição do meio ambiente", disse a ministra para os delegados presentes que aplaudiram de pé a constatação.

Mobilização Nacional

Os números apresentados pela Secretaria Nacional de Juventude, organizadora do evento, são expressivos. Segundo o secretário adjunto do órgão, Danilo Moreira, mais de 400 mil jovens participaram das etapas preparatórias em todo o país. Pelo levantamento da Senaju aconteceram Conferências em todos os estados da federação, além de 546 etapas municipais e 800 Conferências livres. Neste contexto o Tocantins teve uma participação decisiva. O Estado mais novo da federação realizou conferências em 90 municípios, envolvendo cerca de 20 mil pessoas. Realizou também a etapa estadual com o maior número de participantes: 2400 inscritos.

Fonte: Ascom Sejuv

Por: redação

Tags: Estado, Sejuv