Meio Ambiente

Foto: Divulgação

O Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins realizou, na manhã desta terça-feira, 13, simultaneamente, em Palmas, Araguaína, Araguatins, Araguacema, Arapoema, Formoso do Araguaia, Gurupi, Lagoa da Confusão, Pedro Afonso e Tocantinópolis, a inutilização do material predatório apreendido pelas equipes das 15 Unidades Regionais e quatro Parques Estaduais durante a piracema (1º de novembro de 2007 a 28 de fevereiro de 2008), quando ficou proibida a pesca nos rios e lagos do Estado, e no período de março a maio deste ano.

No total, foram inutilizados 45.210 metros de redes malhadeiras nos dez municípios. Desse montante, cerca de 32 mil metros de redes foram destruídos no aterro sanitário da Capital, junto com 48 tarrafas e 275 espinhéis (artefatos usados para pesca predatória).

A destruição do material em Palmas contou com a presença do diretor de Fiscalização e Monitoramento do Naturatins, capitação Laureno Tebas, que representou o presidente do Naturatins, Marcelo Falcão Soares, de fiscais e agentes ambientais do Instituto, além do subcomandante Cardoso, da GMP – Guarda Metropolitana de Palmas.

Na ocasião foi assinado o Termo de Inutilização que formalizou a inutilização do material predatório. Assinaram o documento o capitão Laureno Tebas, o subcomandante Cardoso, fiscal ambiental Élson Machado e o gerente do aterro sanitário de Palmas, João Marques.

O diretor de Fiscalização e Monitoramento destacou que o volume de material predatório apreendido é o reflexo do trabalho que o órgão está desenvolvendo em todo o Estado. “Estamos intensificando o trabalho junto com nossos parceiros. Paralelo a fiscalização, também está sendo feito um trabalho de educação ambiental nos municípios que tem conscientizado às pessoas a utilizarem os recursos naturais de forma racional”, explicou Laureno Tebas.

Segundo o presidente Marcelo Falcão Soares, os valores que foram recolhidos com as multas serão revertidos para o custeio das atividades desenvolvidas pelo órgão. Ele também lembrou que todo o pescado apreendido, conforme prevê a legislação ambiental, foi doado à entidades beneficentes e às comunidades carentes nos locais das apreensões.

Balanço

No período da piracema (1º de novembro de 2007 a 28 de fevereiro de 2008), o trabalho das 18 equipes do Naturatins das 15 Unidades Regionais e quatro Parques Estaduais, compostas por aproximadamente 70 homens, resultou na apreensão de quase 5 toneladas de pescado, 18.217 metros de redes malhadeiras, 25 tarrafas, 491 espinhéis, 43 veículos (dois deles furtados), dois barcos, 92 bóias, seis armas de fogos, entre outros materiais predatórios.

As operações realizadas pelo Naturatins tiveram o apoio da GMP, da Cipama – Companhia Independente de Polícia Militar Ambiental e da Polícia Rodoviária Federal.

O balanço demonstra que o número de apreensões na piracema em 2007/2008 superou o dos últimos quatro anos. O valor total de multas aplicadas alcançou o valor de R$ 98.705,00.

Araguatins

Também na manhã desta terça-feira, a equipe da Unidade Regional do Naturatins de Araguatins realizou, em frente à sede do órgão, a inutilização de várias redes malhadeiras e tarrafas, espinhéis e linhadas. Em seguida foram encaminhados ao aterro municipal da cidade. Todo esse material foi apreendido nos rios federais e interiores da região do Bico do Papagaio. “O Naturatins continuará intensificando suas ações de combate a prática de crimes contra o meio ambiente”, assegurou o gerente regional, Mauro Antônio dos Santos.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: GMP, Meio Ambiente, Naturatins