Estado

Foto: Mariana Di Pietro

O Tocantins foi o Estado com maior abrangência em municípios beneficiados com recursos advindos do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento da Habitação durante assinatura de contratos e de Ordem de Serviços para a habitação e saneamento, em solenidade, no Palácio do Planalto, que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dentre os 22 municípios tocantinenses agraciados, Palmas recebeu a maior parte dos recursos: R$ 49,6 milhões. Outros R$ 23,5 milhões foram destinados para a construção de casas populares no interior do Estado.

Para o presidente Lula, a parceria entre governos federal, estadual e municipal foi a responsável pelo sucesso da aplicação do programa. “A coisa mais genial do PAC foi juntar governos e prefeitos”, frisou, comparando o PAC ao movimento de uma roda gigante. “É como se estivéssemos fora da roda gigante e os prefeitos e governadores nas cadeiras e (a roda) não pode parar de girar. Deve girar por anos, para que o Brasil faça reparação com os pobres deste país”, explicou.

O governador Marcelo Miranda ressaltou também o sucesso da parceria. “Os recursos alocados não são apenas para a capital, Palmas, mas para mais 21 municípios. Mas, por que isso? Porque temos trabalhado em parceria com os governos federal e municipal. São mais de R$ 60 milhões para drenagem, saneamento básico, pavimentações (...). Como o próprio presidente deixou bem claro, o Tocantins cresce de forma transparente e aberta para a comunidade”, completou, acrescentando ainda que o Estado trabalha independentemente de cor partidária.

Para o ministro das Cidades, Márcio Fortes, a reunião com os governadores, realizada no segundo semestre do ano passado, também contribuiu para a discussão do pacto federativo, lembrando que os recursos do PAC “têm base sólida de financiamento, sem contingenciamento e com compromisso de execução imediata”. Do total de R$ 2,41 billhões, anunciados pelo ministro durante a cerimônia, Rnt,278 bilhão é destinado às Ordens de Serviços, em habitação e saneamento, e R$ 583 milhões para os contratos.

Dilma Rousseff

Também presente ao evento, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, classificou o PAC como uma “conquista institucional para o país”. Ela destacou ainda o balanço de dois anos da criação do PAC, afirmando que o País virou um grande canteiro de obras. E que é crucial investir em energia e acabar com os gargalos nas rodovias ferrovias, investindo em infra-estrutura.

Em entrevista recente à imprensa tocantinense, a ministra havia destacado o potencial hidrelétrico do Tocantins e o Estado como uma grande locomotiva de integração entre o Norte e o Centro-Oeste do Brasil. Marcelo Miranda elogiou as palavras da ministra, ressaltando a clareza e a parceria com o governo federal. “É muito bom ouvir de uma ministra como a Dilma, amiga, companheira, de visão ampla, a discussão de projetos importantes para o país”, disse o governador, referindo-se, no caso do Estado, à hidrovia, à ferrovia, e a todos os setores da educação e da saúde, entre outros.

Além dos ministros de estado, também participaram da solenidade: governadores; parlamentares; secretários estaduais, entre eles o da Representação, Carlos Patrocínio e da Habitação e Desenvolvimento Urbano, Aleandro Lacerda, prefeitos e representantes de empresas da habitação e saneamento. As assinaturas de atos do PAC foram realizadas pelo ministro Márcio Fortes e pelos presidentes da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos, e do BNDES, Luciano Coutinho.

 

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: Estado