Economia

Foto: Elson Caldas Otavio Assis Henriques, em audiência com o governador Otavio Assis Henriques, em audiência com o governador

A afirmação foi feita pelo diretor vice-presidente de Geração da empresa Energias do Brasil, Luiz Otavio Assis Henriques, em audiência com o governador Marcelo Miranda, ontem, quarta-feira, 13. A visita do diretor foi para apresentar a Energias do Brasil e sua diretoria ao governador. A empresa passou recentemente de acionista minoritária a maior acionista do Grupo Investco, que atua no Estado.

Segundo o diretor, a empresa estuda a possibilidade de implantar mais cinco hidrelétricas no Estado. A Energias do Brasil já atua no Tocantins com participação de 60% do capital na Usina Hidrelétrica Peixe Angical e pretende expandir seus investimentos no Tocantins. “Já temos o empreendimento de Peixe Angical e temos planos de mais quatro, cinco hidrelétricas para aproveitamento do potencial do Tocantins, e consolidar uma parceria que já é de muitos anos”, comentou.

Os estudos para investimentos no potencial hidrelétrico do Tocantins, segundo Luiz Otávio, devem ser apresentados à Aneel - Agência Nacional de Energia Elétrica no ano de 2009. “Nós temos um estudo de quatro, cinco novos empreendimentos que dependem de concessão da Aneel e do Ministério de Minas e Energias. Estamos terminando os estudos ainda este ano e devemos apresentar ao ministério no ano que vem”, declarou.

A empresa, que já tem investimentos no Estado mudou a sua linha de atuação e agora foca a produção de energia. Antes a Energias do Brasil tinha ações voltadas à distribuição de energia elétrica. Para Luiz Otávio, a mudança no foco da empresa não deve alterar as ações. “Viemos junto ao governador Marcelo Miranda expressar primeiro essa mudança de acionista e mostrar que não haverá mudança e a questão da forma da usina trabalhar no rendimento dentro do Estado e o planejamento que nós temos”, informou,

Progresso

Para o diretor vice-presidente de Geração da Energias do Brasil, Luiz Otávio Assis Henriques, o Tocantins tem um enorme potencial de produção e exportação de energia elétrica. “O Tocantins consome de 10 a 15% da energia que produz e o restante exporta para o Brasil. O Tocantins, hoje, tem o orgulho de ser um Estado que dá ao Brasil a sua necessidade de energia para o crescimento do PIB como um todo”, explicou.

O Tocantins tem ainda, segundo o diretor vice-presidente, potencial para ser mais que um Estado exportador de energia, atraindo mais investimentos e empresas. “O Estado tem potencial para aumentar a capacidade de exportação e, obviamente, quando você produz energia agrega empresas e a consolidação de base, que vai transformando a região num Estado de progresso invejável”.

A empresa

A Energias do Brasil atua como holding, que concentra ativos nas áreas de geração, distribuição e comercialização de energia elétrica. O Grupo está presente nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Ceará.

Controlada pela EDP - Energias de Portugal, umas das maiores operadoras européias do setor elétrico, a Energias do Brasil tem suas ações negociadas no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

 

Umberto salvador Coelho

Da redação com informações Secom

Por: Redação

Tags: Economia, Energia, Hidrelétricas