Estado

Foto: Mariana Di Pietro

“A audiência foi altamente positiva (no Banco Mundial). Estamos em dia com nossos compromissos e temos uma margem muito boa de financiamento”. Foi o que declarou o governador Marcelo Miranda, após audiência com o diretor do Bird – Banco Mundial – para o Brasil, John Briscoe, na manhã desta quarta-feira, 3, na sede da instituição, em Brasília.

O governador; acompanhado dos secretários da Infra-estrutura, Brito Miranda; do Planejamento, José Augusto Pires Paula; da Fazenda, Dorival Roriz; de Representação, Carlos Patrocínio; do senador Leomar Quintanilha e do deputado federal Osvaldo Reis, solicitou um novo empréstimo, de aproximadamente US$ 300 milhões, para a segunda fase do PDRS – Projeto de Desenvolvimento Regional Sustentável.

A primeira etapa do PDRS teve início em 1994 e encerra no ano que vem. O recurso de US$ 100 milhões foi utilizado para modernizar a gestão pública no Estado, desenvolver planos ambientais e perenizar estradas vicinais no interior. As duas últimas parcelas serão quitadas em novembro deste ano e em maio de 2009. Com as contas em dia, o Bird sinalizou a possibilidade de um empréstimo para a nova etapa do Projeto. “O Estado do Tocantins tem a melhor condição financeira do país, não estamos inclusos no PAF - Programa de Reestruturação e Ajuste Fiscal e não temos endividamento. Além do mais, temos um superávit primário exemplar. Nossas contas estão bem equilibradas”, informou o secretário da Fazenda, Dorival Roriz.

O objetivo do PDRS II é criar condições para manter a população no interior de forma sustentável. “Não adianta pensarmos em ter uma malha viária perfeita, mas sem integração. Hoje buscamos continuar com os investimentos em infra-estrutura, porém interligando os centros produtivos, alavancando pólos de produção e desenvolvendo os municípios, para que tenham menor dependência do Estado”, explicou o secretário do Planejamento, José Augusto.

Uma equipe formada por técnicos das secretarias da Infra-Estrutura, Planejamento e Fazenda, junto com o governo federal, vai elaborar uma carta-consulta para apresentar na próxima reunião com o Banco Mundial. O novo empréstimo vai entrar no PPA – Plano Plurianual 2008/2011 do Estado. “Em breve, devemos enviar uma equipe de Washington (EUA) para visitar o Tocantins e elaborar um documento a fim de finalizar essa parceria”, afirmou o diretor do Bird para o Brasil, John Briscoe.

Hidrovia do Rio Tocantins

Segundo o secretário de Representação, Carlos Patrocínio, os dirigentes do Bird deram uma atenção especial à Hidrovia. “Foi um momento importante porque o assunto foi aventado pelos próprios dirigentes do Banco MundialB e é interesse deles investir em projetos inovadores desse tipo”, disse.

Durante a reunião, o Bird mostrou interesse em financiar a construção das eclusas do Lajeado e de Estreito. ”É um Estado no qual temos uma expectativa muito positiva. Tivemos uma conversa extremamente interessante sobre os grandes desafios que o Estado enfrenta, pois tem o Rio Araguaia de um lado e o Rio Tocantins de outro, usando-os pouco para a navegação. Um problema não só do Tocantins, mas do Brasil em geral, pois é dotado de hidrovias naturais e as usa pouco. Saímos com a idéia de que a hidrovia, como desenvolvimento regional, talvez seja o eixo principal de uma nova operação (contratual). Mas o Ministério das Finanças e da Administração Pública e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão têm que dar o aval. O Tocantins tem bons índices financeiros”, explicitou John Briscoe.

De acordo com o governador a construção das eclusas, no momento, é o principal projeto do Estado. “Nosso maior projeto é a Hidrovia, pois a ferrovia já é uma realidade. Estamos mais próximos da Ásia, Europa e Estados Unidos”, concluiu.

 

Fonte: Secom

Por: Redação

Tags: Bird, Desenvolvimento, Estado, Financiamento