Polí­tica

Em nota distribuída à imprensa na tarde de ontem, quarta-feira, 15, a assessora do PSDB e da UT, Maria Tereza Rocha, afirma que “movidos pela ambição e pela vaidade que os cegam”, algumas lideranças estão confundindo as eleições municipais de 2008 com as eleições estaduais de 2010.

Maria Tereza afirma na nota que o “criador do Tocantins visitou municípios nos quais o PSDB, o PR, o PP, o PV, o PTB, o PSC e o PRTB, tiveram candidatos e o convidaram, mas, Siqueira Campos não tentou usurpar os méritos dos candidatos vitoriosos”. A assessora ainda disse que Siqueira ressalta que “a vitória é de cada candidato a Prefeito, seu Vice e Vereador” e que o ex-governador teve “a postura ética e justa ao reconhecer que muitos perderam por falta de apoio e de assistência dos líderes dos diversos partidos da União do Tocantins e pela desunião causada pelo personalismo de alguns”.

A nota encerra afirmando que é sábia a advertência de Siqueira Campos: “se nós da União do Tocantins não somos capazes de manter a tradicional e invejada unidade de nossas forças, certamente não seremos capazes de voltar a ganhar eleições” e conclui “Paciência gente: o Tocantins tem apenas 20 anos!”.

 

Confira a nota

 

PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA/UNIÃO DO TOCANTINS

NOTA

Diante de certos fatos, chegamos ao entendimento sobre os que se arvoram em “grandes lideranças políticas” do Estado: efetivamente, eles não são, salvo raras exceções, lideranças definitivas de grande porte. Vejamos, movidos pela ambição e pela vaidade que os cegam, estão confundindo eleições municipais com eleições estaduais, isto é, 2008 com 2010. Alguns chegam a se lançar, à base do “eu”, “eu sou o maior”, “eu venci”, etc, etc, revelando ainda despreparo e outro defeito grave: a ignorância.

A realidade de cada município e o conhecimento no dia a dia da convivência, as características e o caráter de cada postulante fazem com que um determinado candidato, as vezes pobre e sem apoio desses pretensos “grandes líderes”, vença a eleição, derrotando os ricos e os que se julgam “os maiores e mais bonitos”.

A vitória do candidato a Prefeito é dele, não de Governador, Senador ou Deputado. A derrota do candidato também é dele próprio, ainda que seja um dever dos Dirigentes Partidários Estaduais darem apoio e assistência aos candidatos dos seus partidos e suas coligações, como muito bem prega e reconhece o ex-governador Siqueira Campos.

Verdade que existem aqueles que são eleitos pela “máquina da corrupção”, muito comum no Tocantins. Mas, mesmo assim, a vitória é do candidato que soube aproveitar-se e usar o poder dessa nefanda máquina.

Siqueira visitou e apoiou os candidatos de todos os partidos da União do Tocantins e dos seus coligados, visitando todos os municípios sempre que o foi convidado.

O criador do Tocantins visitou municípios nos quais o PSDB, o PR, o PP, o PV, o PTB, o PSC e o PRTB, tiveram candidatos e o convidaram, mas, Siqueira Campos NÃO TENTOU USURPAR os méritos dos candidatos vitoriosos. Ao contrário, ele ressalta que a vitória é de cada candidato a Prefeito, seu Vice e Vereador.

O ex-Governador teve ainda a postura ética e justa ao reconhecer que muitos perderam por falta de apoio e de assistência dos líderes dos diversos partidos da União do Tocantins e pela desunião causada pelo personalismo de alguns.

É sábia a advertência de Siqueira Campos: se nós da União do Tocantins não somos capazes de manter a tradicional e invejada unidade de nossas forças, certamente não seremos capazes de voltar a ganhar eleições.

Paciência gente: o Tocantins tem apenas 20 anos!

Palmas, 15 de outubro de 2008.

Maria Teresa Rocha

Assessora do PSDB e UT

Por: Redação

Tags: Candidatos, Política, Siqueira Campos, UT