Estado

Os trabalhadores em educação do município de Almas continuam com seus salários atrasados desde outubro de 2008. O fato foi verificado após visita dos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (SINTET) José Roque Santiago, Elis Raik de Carvalho e Carlos Furtado, no último dia 10.

Segundo Furtado, foi constatado que poucos funcionários receberam seus salários. Os dirigentes não conseguiram falar com o prefeito Osmar Lima Cintra (Osmarzim) para saber o porquê dessa disparidade no pagamento dos salários. O SINTET protocolou um documento na prefeitura solicitando uma audiência com o gestor para tratar do assunto e ainda falar sobre a implantação do Piso Nacional do Magistério e plano de cargos e carreiras.

O SINTET está visitando as escolas dos municípios do interior para verificar a situação dos profissionais da educação. Nessa semana, foram visitadas as cidades de Almas, Taguatinga, Aurora, Lavandeira, Porto Alegre do Tocantins, Ponte Alta do Bom Jesus e Dianópolis.

Dentre as reclamações dos profissionais estão salas de aula com grande número de alunos, além de jornada longa de trabalho e a dificuldade de conseguir licença médica.

O objetivo das visitas é apresentar a nova diretoria do sindicato para os profissionais da educação da região e conversar com os trabalhadores e gestores sobre as condições de trabalho e ensino, além de tratar de assuntos como a implantação do Piso Salarial Nacional do Magistério, plano de cargos, carreiras e salários e as perspectivas do sindicato para 2009.

Com informações da Ascom Sintet